Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) revelou na última sexta-feira (3), durante uma “live” na sua página do Facebook, que o Governo do Amazonas realizou, no último dia 30 de dezembro de 2019, o pagamento de R$ 1.484.505,00 para a empresa RM Machado e Cia Ltda, dos empresários Rafael Mafra Machado e Ubiramar Teixeira Barbosa, que presta serviços de limpeza e manutenção de piscinas em escolas estaduais. Segundo o documento divulgado no Portal da Transparência do Governo, o empenho é referente a um termo aditivo firmado entre a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc) e a empresa terceirizada.

Em março do ano passado, o parlamentar denunciou na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) sobre um suposto sobrepreço no contrato de quase R$ 2 milhões da pasta, com preços chegando a cinco vezes a mais que o praticado no mercado.

Para Wilker, o Governo continua brincando com o dinheiro público e ignora os terceirizados da saúde, que estão há quatro meses sem receber salários e o décimo terceiro, e os servidores públicos estaduais, que ainda não receberam o salário de dezembro.

“Enquanto a saúde padece e o servidor público leva calote, o Governo do Amazonas esbanja com contratos milionários. Empenhou quase R$ 1,5 milhão para limpeza de piscinas, destinou R$ 91 milhões para festas e eventos e realizou pagamentos para a Umanizzare na ordem de R$ 8 milhões, que resolveria os problemas nos hospitais. Mas para pagar os profissionais da saúde e os servidores, o sistema da Sefaz fecha, dá problema, quebra. Isso é uma tamanha irresponsabilidade”, afirmou Wilker.

O deputado alertou ainda que vai ingressar com uma representação no Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) e Ministério Público do Estado (MPE-AM) para a suspensão do contrato da RM Machado.

“Não posso ficar assistindo de camarote o Estado caminhar para o colapso de suas contas. O Governador vai para coletiva dizer que está tudo bem, mas continua dando prioridade para eventos e despreza a saúde. Vou representar no TCE para suspender o contrato e evitar mais uma farra com o dinheiro do povo”, finalizou Wilker.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •