Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deputados do Amazonas avaliam os pontos positivos e negativos da medida. O avanço para a reabertura de cada etapa do ciclo dependerá da curva de casos do novo coronavírus na capital.

O deputado João Luiz (Republicanos) foi o primeiro a se pronunciar sobre o tema. O parlamentar considerou positiva a medida do governo de reabertura do comércio e destacou a reunião do governador Wilson Lima com lideranças religiosas. As igrejas estão no primeiro ciclo das atividades que retomarão o funcionamento, com regras pré-estabelecidas, como 30% de ocupação dos templos, eventos de uma hora de duração e intervalo de no mínimo cinco horas entre um evento e outro.

“As instituições religiosas exercem um importante papel na sociedade, sendo um braço do Poder Executivo. Onde ele não chega, há uma igreja. O pastor, o padre, muitas vezes são as autoridades da cidade”, enfatizou o deputado, que é presidente da Frente Parlamentar Cristã na Aleam.

Outro que defendeu a reabertura das igrejas foi o deputado Felipe Souza (Patriota). “As igrejas vão obedecer rigorosamente ao decreto do governador com a quantidade de pessoas, o distanciamento e uso de álcool em gel”, garantiu.

O deputado Serafim Corrêa (PSB) disse que ele teria sido mais cauteloso na reabertura do comércio neste momento, principalmente das igrejas. “Com todo respeito às igrejas, será inevitável que a aglomeração aconteça. Uma recaída dessa doença seria muito complicado”, enfatizou o socialista.

Ao parabenizar a iniciativa do Poder Executivo, o deputado delegado Péricles (PSL) destacou a participação dos empresários na tomada de decisões. “O governo ouviu quem está na ponta, como os empresários. É necessária a abertura do comércio. Além da pandemia, temos um problema sério que é a economia”, pontuou.

Interior

O deputado Adjuto Afonso (PDT) destacou em seu pronunciamento ação do Governo na calha do Purus, no combate à covid-19. “Tivemos a ida do Secretário Executivo de Atenção Especializada de Interior, Cássio Espírito Santo ao município de Boca do Acre, para a entrega de dois respiradores e um desfibrilador para o Hospital Regional Ana Maria Geny de Lima, no município. Na sexta-feira (29) ele estará em Lábrea também entregando respiradores”, informou.

Outros deputados também destacaram as medidas do Executivo, como Saulo Viana (PTB) e Belarmino Lins (PP). Mas o deputado Augusto Feraz questionou as ações, falando da falta de compromisso do governo com o setor e disse que a covid 19 evidenciou um déficit de pelo menos 30 anos na área da saúde.  “É preciso construir no mínimo cinco Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) nas cidades polos do Estado, além de salas de cirurgias, para que a população do interior não precise se deslocar para a capital”, disse.

CPI

O deputado Delegado Péricles, presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, fez um balanço da reunião realizada nessa quarta-feira (27), onde os membros aprovaram 17 requerimentos e a convocação da ex-secretária executiva de Saúde da capital, Daiana Mejia, e do ex-secretário de Saúde, Rodrigo Tobias, para que prestem esclarecimentos sobre a compra de equipamentos para o combate à Covid-19.

Nesta sexta-feira (29), os membros titulares da CPI realizarão inspeção no Hospital Nilton Lins, unidade de atendimento referência no tratamento de pacientes com Covid-19 no Estado do Amazonas.

Na quinta-feira (28), os deputados Felipe Souza e Alessandra Campêlo (MDB), pediram que seus nomes fossem retirados da suplência da CPI, com a justificativa de não concordarem com as regras de instalação da Comissão.

Reuniões híbridas

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto (PRTB), anunciou o início das sessões hibridas para próxima terça-feira (02), seguindo o modelo que já ocorre na Câmara federal e no Senado.  “Os deputados estaduais poderão escolher se vão atuar de casa ou presencialmente. Os testes e treinamentos dos servidores já estão sendo realizados”, explicou.

Josué Neto afirmou ainda que o acesso ao plenário Rui Araújo será limitado, para evitar aglomerações, seguindo os protocolos de segurança da Covid-19. Cada parlamentar terá apenas um assessor para auxiliar durante a sessão.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •