Foto: Yuri Pinheiro
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Terminal Hidroviário de Parintins voltou a ser interditado, devido ao deslizamento de terra e desabamento do muro de contenção do prédio administrativo, ocorrido na manhã desta quinta-feira (27). O Corpo de Bombeiros, a Defesa Defesa Civil de Parintins e uma equipe da Secretaria Municipal de Obras vistoriaram toda a estrutura portuária.

Novas fissuras foram identificadas ao lado do prédio administrativo, o que representa risco iminente de desabamento. “Fizemos avaliação da dimensão da área afetada e detectados a possibilidade de haver um rompimento ainda maior, até mesmo com damos ao prédio administrativo. Resolvemos interditar o porto para cargas, passageiros e embarcações, por questão de segurança”, explica o comandante do Corpo de Bombeiros, Tenente Barbosa Amorim. 

A Marinha do Brasil, por meio da Agência Fluvial de Parintins, orientou os proprietários das embarcações ancoradas a saírem do local. O trânsito de veículos na ponte também foi interrompido, porque o desabamento chegou próximo a área da guarita. A liberação do trânsito, segundo o Corpo de Bombeiros, só será dada, a partir de uma avaliação técnica sobre os riscos da área. “A interdição é para garantir a vida de quem frequenta o porto”, pondera Barbosa Amorim.

O Porto de Parintins, pertencente ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), do Ministério da Infraestrutura, é administrado pela iniciativa privada. Inaugurado em 2006, a instalação portuária pública já passou por várias reformas, por conta de sucessivas falhas no projeto de engenharia. A última interdição do Porto de Parintins havia ocorrido no final de 2019, por rompimento dos elos das balsas de atracação das embarcações. 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •