Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na sociedade atual a tecnologia está em todos os campos da atuação humana. De aplicações bancárias complexas, como, por exemplo, a compra de moedas virtuais, até à venda de peixe no interior do estado do Amazonas, a tecnologia tornou-se fundamental no dia-a-dia do homem contemporâneo. Seja fazendo compras, ou usando o celular, hoje em dia, ninguém consegue viver sem o auxílio da tecnologia.

O lado negativo desse processo de massificação da tecnologia é que muitas práticas culturais consideradas moralmente boas, justas e solidárias, foram deixadas de lado, como, por exemplo, o companheirismo, a amizade, e o respeito mútuo. Assim, com o aumento e a expansão da tecnologia, o ser humano tornou-se ainda mais egoísta e solitário. Surgiram, também, práticas danosas ao ser humano, tais como, preconceito, terrorismo, xenofobia, sequestro, extorsão, e uma série de males que contribuem para o afastamento do convívio social.

Como o professor pode usar as novas tecnologias para diminuir o abandono escolar e aproximar os pais da escola? Em primeiro lugar, que a escola seja, por excelência, um espaço democrático de socialização do conhecimento. Em segundo lugar, que o professor utilize as novas tecnologias em suas aulas para tornar o ensino mais atraente, dinâmico e participativo. Em terceiro lugar, que as tecnologias aplicadas à educação facilitem o processo de comunicação e de avaliação entre todos, não apenas entre direção e secretaria, mas, sobretudo, entre direção e professor, professor e professor, professor e aluno, aluno e direção.

Assim, como as novas tecnologias são atualmente a força direcionadora da nova economia e cultura, faz-se necessário que elas sejam incorporadas nas escolas e pelos professores, através de uma forma bem significativa. Ou seja, a escola não pode ignorar o mundo tecnológico. Ela deve e precisa mudar continuamente para ajustar-se à sociedade na qual está inserida. É um mundo sem volta. As sociedades não caminham sem tecnologia. Dessa forma, a escola e os professores não podem ficar de fora dessa revolução e evolução do conhecimento.  

Por outro lado, a tecnologia é mais poderosa quando utilizada com abordagens críticas de ensino que enfatizam mais à solução de problemas, o desenvolvimento de conceitos e o raciocínio crítico, do que a simples aquisição do conhecimento. Ou seja, o grande desafio do uso das novas tecnologias na educação é de como equilibrar a massificação do acesso rápido à informação, e, ao mesmo tempo, manter um nível de qualidade em todos os aspectos educacionais.

Enfim, do ensino básico ao ensino superior, todo professor sabe que a maneira como os alunos aprendem hoje em dia, os tipos de habilidades adquiridos em sala de aula são bem diferentes da tecnologia e da metodologia de anos atrás. Por isso, a preocupação de todo professor, que acredita no potencial do aluno, deve ser de questionar como a tecnologia contribui para a formação crítica e profissional do aluno.

Luís Lemos

Filósofo, professor universitário e palestrante. Autor dos livros: O primeiro olhar – A filosofia em contos amazônicos (2011), O homem religioso – A jornada do ser humano em busca de Deus (2016); Jesus e Ajuricaba na Terra das Amazonas: Histórias do Universo Amazônico (2019). Fone: 988236521. E-mail: [email protected]


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •