Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, garantiu em entrevista a Rádio Amazonas FM, na manhã desta quarta-feira, que não existe nenhuma “blindagem” ao prefeito de Coari Adail Pinheiro, no órgão. “Na Justiça Eleitoral examinamos questão técnicas, nada tem haver com pedofilia”, disparou.

“Tínhamos dois processos contra o prefeito no Tribunal, em um ele teve sucesso no outro reformamos a sentença de primeiro grau e os autos voltaram ao município para diligências”, afirmou Pascarelli, lamentando ter identificado que o processo estava há cerca de 5 meses na Comarca de Coari.

Para que os autos possam andar, o desembargador informou que o juiz Fábio Alfaia, de Barcelos, foi designado para assumir em Coari os autos que estavam parados no cartório sem que o Tribunal Eleitoral, fosse informado da falta de juiz.

O outro processo de Adail Pinheiro, tramitando na Justiça Eleitoral, que trata do registro de candidatura, Pascarelli, disse que está no Tribunal Superior Eleitoral, onde o prefeito de Coari, já tem três, confirmando a decisão da Corte Regional, que entendeu não ter como barrar o registro do candidato baseado na leia da “Ficha Limpa”.

“Ele teve condenações do TCE e TCU, mas conseguiu reformar a sentença”, informou o desembargador, acrescentando que Adail Pinheiro, comprovou que não era o gestor tinha delegado a terceiros. “Ele delegou a gestão dos atos desaprovados e não tinha como ser acusado do dolo”, explicou o desembargador.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •