Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Depois do indeferimento da juíza Mirza Telma de Oliveira Cunha, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, do pedido de liberdade do assistente administrativo Renato Fabiano dos Santos Benigno, acusado de na madrugada do dia 12 do mês passado de matar duas pessoas e deixar feridas três em um grave acidente de carro na estrada da Ponta Negra, onde a defesa dele resolveu ingressar com habeas corpus com pedido de liminar no Tribunal de Justiça do Amazonas.

Os autos estão nas mãos da plantonista do Tribunal, a desembargadora Encarnação das Graças Sampaio Salgado. Será dela a decisão de indeferir ou deferir a liminar e colocar em liberdade ou não Renato Benigno, que está preso no Centro de Detenção Provisória, localizado no quilômetro 8 da BR 174 (Manaus/Boa Vista).

Na madrugada do dia 12 do mês passado, Renato engavetou a picape S-10, de cor marrom e placas OAK 2643, que ele vinha dirigindo em um Fiat Strada, de placas JXP 6657, matando José Henrique Monteiro Galvão, de 18 anos e Keylene Moreira de Almeida e deixando ferido ainda Rodrigo de Oliveira Barroso, Weslem Tavares e Silva e Jhony Lemos Rodrigues.

Defesa diz que mídia influência o Judiciário

Para tentar conseguir a liminar em habeas corpus as advogadas de Renato, Anne Paiva de Alencar e Carla Dayany Luz Abreu, alegam em sua petição “O que se verifica é a influência da mídia no Judiciário”.

Afirmam ainda, que ao se realizar uma rápida busca com o nome de Renato Benigno em qualquer site de pesquisas, se verificará a presença de diversos sites, tanto de notícias sérias quanto populares, opinando e o condenando previamente.

Para as advogadas “a mídia utiliza uma manipulação muito eficaz nas pessoas, inclusive nos nobres servidores da Justiça que, por medo de retaliações, buscam fazer de acordo com a opinião das grandes e pequenas emissoras, por serem essas verdadeiras formadoras de opinião pública”.

Colisão

O acidente ocorreu por volta de 5h do dia 12 do mês passado, na Avenida Coronel Teixeira, Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus. As vítimas voltavam de uma casa de forró localizada no bairro Tarumã e estavam empurrando um veículo em pane para o acostamento quando foram atingidas pela picape modelo S10. Keyllene e o cunhado José Henrique morreram na hora. Eles tiveram membros inferiores e superiores mutilados.

Logo após o acidente, o motorista Renato Fabiano dos Santos Benigno foi preso e levado ao 19º Distrito Integrado de Polícia, onde o auto de prisão em flagrante foi lavrado por homicídio doloso, lesão corporal, embriaguez ao volante e condução de veículo sob efeito de bebida alcoólica em seguida ele foi encaminhado a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •