Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A ação de cidadania Dia do Campo Limpo promove, neste sábado (17/08), a partir das 8h30, na Vila do Engenho, em Itacoatiara (a 176 quilômetros a leste de Manaus), a integração nas comunidades agrícolas e instituições no esforço pela adoção de consciência crítica quanto à preservação da saúde do trabalhador e da saúde ambiental por meio do uso correto de agrotóxicos, do adequado descarte de embalagens vazias, do uso de equipamento de proteção individual e da melhoria dos processos produtivos.

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas  (FVS-AM) coordena a ação e conta com a atuação de órgão integrados, como a Secretaria Municipal de Saúde de Itacoatiara; Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), a partir do Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest-AM); Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror); Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam); Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf); Universidade Federal do Amazonas (Ufam); Universidade do Estado do Amazonas (UEA); o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam).

A diretora presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, explica que a região de Novo Remanso, em Itacoatiara, é o maior polo produtor de abacaxi do estado, com 71 milhões de frutos produzidos em 2018.

“Diante deste importante contexto do abacaxi, há também uma expressiva produção de maracujá, mamão e cupuaçu. Por conta disso, a Vila do Engenho foi escolhida para receber o projeto Campo Limpo, por estar inserida em área de produção agrícola, com risco potencial para a saúde do trabalhador e da saúde ambiental, a exemplo de outros municípios da Região Metropolitana de Manaus (RMM)”, esclareceu.

Rosemary salienta que a iniciativa é fundamental para a promoção de uma postura cuidadosa quanto ao uso de agrotóxicos, e para o estímulo às ações de vigilância e monitoramento dos riscos de adoecimento, tanto do trabalhador como do consumidor dos produtos agrícolas.

“Assim sendo, a FVS, em conjunto com os outros órgãos, realiza ações de vigilância em saúde de populações expostas a agrotóxicos, que se inserem na Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e da Floresta (PNSIPCF), no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS)”, disse.

O chefe de departamento de Vigilância Ambiental da FVS-AM, Elder Figueira, que vai estar na Vila do Engenho durante a ação, informa que a FVS atua na comunidade desde 2011, promovendo educação continuada de ações para evitar tanto uso exagerado de agrotóxicos como também evitar que estes trabalhadores fossem acometidos por doenças oriundas do trabalho diário.

“Naquele período, em 2011, de sete amostras analisadas, cinco (71%) apresentaram resíduos de agrotóxicos acima do valor máximo permitido, ou presença de produtos não recomendados para a cultura do abacaxi. Após a nossa entrada no processo, em 2015, foi realizada a coleta de sete amostras analisadas, seis estavam dentro do padrão (85%)”, comemorou Elder, acrescentando que o sucesso dos resultados foi alcançado pela importância e necessidade de contínuo esforço de integração interinstitucional.

Programação – Durante todo o dia, o evento contará com atividades de imunização, aferição de pressão arterial, teste rápido para diabetes, levantamento entomológico de malária e dengue, diagnóstico de malária, análise microbiológica da água de consumo humano, ações educativas sobre raiva humana e animal, cuidados com a saúde do trabalhador, atualização de cadastro do produtor rural, informações sobre fomento agrícola, direito previdenciário, cooperativismo, além de atividades educativas e pedagógicas para crianças.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •