Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ex-vocalista dos Raimundos, Rodolfo Abrantes, fez uma aparição surpresa na live feita pela banda na sexta-feira (12/06). O líder do grupo, Digão, prestava homenagem a Bessanger Abrantes, primo de Rodolfo que havia morrido no mesmo dia, vítima de uma parada cardíaca após um transplante de fígado.

“Hoje foi um dia muito triste pra nós da família Raimundos. Queria fazer uma homenagem a esse cara que foi tão importante pra gente. Desejar à família Abrantes toda luz e amor de todos os fãs pra esse momento difícil”, disse o vocalista.

Bessanger inspirou a banda a escrever o sucesso Puteiro em João Pessoa: ele é citado no verso “Pois foi Berssange, primo velho e cancrado”. Antes de tocar a música, o vocalista disse que chamaria alguém para dar um recado à família Abrantes e aos fãs.

Rodolfo apareceu e agradeceu as palavras de carinho que havia recebido na data. Por ali, contou uma novidade: ele e Digão voltaram a se falar recentemente. “Meu irmão, Digão, eu estou muito feliz de poder ter essas conversas que a gente teve. Você tem o meu amor, tem o meu abraço. Tô muito feliz de poder ver essa nossa história rescrita, com respeito”, disse, ao vivo.

Ao Metrópoles, Digão contou que quem fez a ponte foi a noiva, Vivi, que é amiga de uma pessoa da família de Rodolfo. “Tinha uma coisa me incomodando demais, uma carga energética, um peso que eu não podia mais carregar. Na terça-feira, tive umas questões, me desentendi com Vivi, e aí nos voltamos para Deus. Eu já tinha essa vontade de falar com o Rodolfo, pedi para Vivi conseguir o telefone dele e liguei assim que recebi”, contou o vocalista.

“O mundo está sendo bombardeado por notícias ruins, eu e Rodolfo fizemos o contrário: chocamos as pessoas com coisa boa” – Digão, vocalista dos Raimundos, sobre a reconciliação com Rodolfo Abrantes

Digão contou como foi a conversa. “Eu falei tudo que precisava falar, pedi perdão por tudo que pensei, tudo que passou no meu coração, as coisas que falei, as coisas ruins. Não só na saída dele da banda, mas de antes, de tudo. Ficamos uma hora no telefone, conversando”.

“Ele me falou coisas maravilhosas, pediu perdão, eu não sei nem explicar em palavras como estou me sentindo. Eu só queria meu amigo de volta, era o mais importante”, relatou Digão, que agora se comunica diariamente com Rodolfo e combinou de visitá-lo para surfar em Florianópolis (SC) assim que a pandemia acabar. As informações são de Metrópoles.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •