Mãe do menor mostra as marcas da agressão do pescoço do filho (Foto Fato Amazônico)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As coisas não vão lá muito bem pelos lados do Colégio Militar da Polícia Militar, CPPM VI, Conjunto Residencial Viver Melhor, Rua Rio Piorini, Lago Azul.

O ensino regular que deveria ser levado à alunada daquela instituição de ensino, com bom manejo de sala de aula e conteúdo de relevo, conforme os padrões instituído pelo Ministério da Educação, ganhou dimensões desproporcionais na medida que não raro o aluno é tratado na porrada, com extrema violência.

Por mais descabida que possa parecer a informação ela é verídica. Não se trata de nenhum exagero.

Ao menos crédulos é só perguntar ao tenente coronel PM Renildo Lamongi Moura como tratou no dia 4 deste mês o aluno G.N.C,. 17 anos.

É bem provável que não tenha coragem de falar da truculência praticada contra o menor de idade e dizer que o mesmo mentiu, que é aluno indisciplinado, e que foi apenas advertido a se comportar melhor no CPPM VI que, acreditem ou não, é dirigido por ele, o tenente-coronel agressor, sem qualquer compromisso com a verdade e divorciado da segurança do cidadão.

Uma vergonha!

A covardia praticada  contra um menor, contudo, já foi comunicada à autoridade policial – 6º Distrito Integrado de Polícia  (6º DIP), conforme Boletim de Ocorrência Nº 19.E.0138.0014350 (BO) registrado pela mãe do estudante agredido, Keyty Nara Natario Nunes, representante.

Diante das evidências de que o menor foi vítima de lesão corporal, a autoridade policial incontinente encaminhou o menor para exame de corpo de delito.

O comandante da Polícia Militar, coronel PM Ayrton Norte promete rigor na apuração dos fatos.

Confira o BO:


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •