Foto: Dhyeizo Lemos
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A presidente da Comissão de Saúde e Previdência, Dra. Mayara Pinheiro (Progressistas), participou de uma reunião técnica nesta segunda-feira (17), com a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) para apresentar o programa Sentinela da Vida, voltado para morbidade materna no Amazonas.

A média nacional de mortalidade materna é de aproximadamente 50 mil casos, já no Amazonas o número dobra. Para reduzir esse índice, a parlamentar propôs a criação do programa sentinela que vai monitorar e identificar casos de morbidade materna grave baseado em um sistema implantado no Paraná, estado referência em morbidade e que reduziu em quase 50% o número de mortes.

“Fizemos uma Audiência Pública sobre o assunto e o que a gente observou: ausência de protocolos nas maternidades e ausência de um programa de vigilância que pudesse se atentar à essas mães que tem o risco de morrer. Em poucas palavras (sobre o programa), a partir do momento que a mulher inicia o pré-natal se ela apresentar hipertensão, diabete e/ou qualquer risco acende um sinal vermelho e toda equipe de vigilância fica atenta aquela mãe”, explicou.

Em relação ao interior do Estado, a proposta é fazer um treinamento com profissionais que atuam nos municípios, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e FVS-AM, e selecionar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) que seja referência para esse monitoramento. Em casos mais graves, o médico da UBS vai encaminhar a paciente para Manaus.

Para a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa, o programa é de extrema importância uma vez que a maior parte dos casos de óbitos são evitáveis se houvesse um acompanhamento preventivo.

“Se reverte de grande importância estabelecemos um mecanismo de vigilância, de notificação precoce nesses casos, de acompanhamento das mulheres em situação de risco para agravamento durante o parto e o puerpério e o estabelecimento de medidas e protocolos que permitam intervir e salvar a vida dessas mulheres. Pra FVS é muito importante uma vez que é a fundação que trabalha com vigilância e prevenção, então nós temos todo o interesse em contribuir com a viabilidade desse projeto e principalmente para salvar a vida de mulheres”, disse.

A FVS-AM se propôs a preparar um projeto de implantação, que deve ocorrer no primeiro trimestre de 2021.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •