Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O completo abandono da cidade foi a principal reclamação do povo de Ipixuna durante a passagem do senador Eduardo Braga, presidente regional do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) pela cidade, na tarde desta sexta-feira (20). O senador realizou no município mais uma convenção municipal da legenda e mais uma edição do projeto “O PMDB ouve você”, que tem percorrido diversas regiões do Estado com o objetivo de elaborar um plano de governo construído a partir das demandas da população.

Empunhando cartazes com verdadeiros pedidos de socorro, cidadãos pediam a intervenção do Ministério Público Federal, Polícia Federal, Tribunal de Contas do Estado, Tribunal de Contas da União e Controladoria Geral da União. Umas das lideranças da cidade chegou a afirmar que Ipixuna está no fundo do poço por conta da ausência de promotor, juiz e delegado. A falta de água potável encanada e o fechamento do cartório eleitoral da cidade também foram relatados durante o evento.

As denúncias de que estaria ocorrendo perseguição política em Ipixuna entristeceram o senador.

“Estou triste porque, em pleno século 21, depois de o Brasil ter dado tanto exemplo de democracia e liberdade, e de eu ter lutado tanto pelo meu Estado e pelo meu povo, eu me deparo com pessoas sendo perseguidas, ameaçadas, intimidadas. É como se nós não tivéssemos lei, liberdade ou democracia no Brasil”, lamentou o senador.

A situação em que se encontra o município também decepcionou Eduardo Braga.

“Não é certo ficar usando do sofrimento do povo para fazer barganhas. É direito seu que sua rua seja asfaltada, que o hospital tenha remédios, que a água seja tratada e encanada. Isso não é favor do prefeito”, afirmou.

Em Guajará

Em visita à cidade de Guajará para a realização de mais uma edição do projeto “O PMDB ouve você”, na manhã desta sexta-feira (20), o senador Eduardo Braga, presidente regional do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) lembrou de quando conheceu pela primeira vez aquela região da calha do rio Juruá que faz fronteira com o Acre.

“Conheço Guajará desde 1985, quando fui candidato a deputado estadual pela primeira vez e o Amazonino (Mendes) foi candidato a governador pela primeira vez. Eu vim na comitiva do Amazonino”, lembrou o senador.

Eduardo Braga afirmou que conheceu a região da maneira mais eficiente para se conhecer verdadeiramente um povo que vive às margens de um rio. “Descemos de barco o Juruá. Naquela época, tive a oportunidade de conhecer de verdade o rio Juruá e as pessoas que moram às margens dele. Íamos parando nas comunidades”, contou à plateia.

Após assistir à apresentação de um grupo de senhoras da terceira idade e de uma performance de dança de um grupo de adolescentes, o senador ouviu atentamente as demandas das lideranças da comunidade. Melhorias para as comunidades que moram nos ramais e estradas vicinais, reativação da fábrica de gelo para atender aos pescadores, regularização fundiária das terras de produtores rurais do município e mais atenção à agricultura familiar foram algumas das reivindicações ouvidas pelo senador.

Não faltaram também algumas boas notícias para a população de Guajará.

“Consegui com a presidenta Dilma, aqui para o município, R$ 6 milhões para o asfaltamento do que falta em Guajará. O dinheiro já está na Caixa e a licitação está sendo feita”, disse Braga, afirmando que vai fiscalizar a realização das obras. “O prefeito vai ter que dar conta de asfaltar a cidade. Porque a Dilma vai me cobrar e eu vou cobrar ele. Vou voltar aqui para ver”, garantiu. Braga também anunciou a construção de um ginásio coberto com verbas federais na cidade.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •