Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

FALA UNIVERSIDADE – O EAD (Educação a Distância ou Ensino a Distância) é uma modalidade de ensino virtual no qual professor e aluno interagem on-line. Hoje, esse método soma cerca de 26% do total de estudantes.

De acordo com uma pesquisa do Sagah, calcula-se que mais estudantes estarão matriculados em um curso EAD do que em um curso presencial em 2023.

Sendo assim, esse ensino não possui um ambiente físico presencial e nem horários fixos. Por isso, tem conquistado o campo educacional, uma vez que permite que o aluno estude no período que desejar.

Com a evolução tecnológica, as barreiras físicas não impedem mais que uma pessoa obtenha sua graduação. Dessa maneira, o estudante tem a possibilidade de estudar quando e onde quiser.

Diante disso, a professora da Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), Ana Cristina Echevenguá Teixeira afirma que há prós e contras desse método. Segundo ela, os laços afetivos podem ser afetados negativamente.

De acordo com ela, as relações pessoais ficam abaladas. Ainda, Echevenguá comenta que esse ensino reforça a liquidez das relações sugerida por Bauman.

Apesar dessa opinião, vários profissionais discordam desse pensamento, afirmando que tal tenologia abre portas aos estudantes que não têm tempo de sobra.

No entanto, como fica em relação a trabalho ou estágio? O ensino a distancia pode ou não dificultar o ingresso no ramo empregatício?

Funcionamento do EAD

Para iniciar um curso a distância, há duas primeiras etapas essenciais: ter um computador e uma internet. Além disso, indica-se que o aluno tenha também alguns conhecimentos básicos de informática.

Após isso, o processo torna-se mais fácil. Assim, é necessário que o interessado escolha seu curso e sua faculdade. Depois disso, basta esperar pela aprovação ou não no processo seletivo.

No entanto, se engana quem acredita que o EAD é somente virtual. Diante disso, algumas áreas exigem que o estudante compareça presencialmente em certas aulas no decorrer do curso. Dessa maneira, recomenda-se que a instituição escolhida esteja próxima do aluno para que não haja problemas relacionados ao trânsito ou às longas distâncias.

Já com relação aos trabalhos e prazos, o ensino a distância se assemelha bastante ao presencial. Portanto, datas de entregas e locais destinados a debates e conversas são características em comum e que devem ser levados a sério.

Público-alvo do EAD

Nesse sentido, recomenda-se o ensino a distância às pessoas com pouco tempo livre, seja porque trabalham ou porque possuem outros afazeres importantes para realizar.

Por outro lado, não existe uma faixa etária que defina o perfil dos estudantes. Afinal, idade não mede tamanho de responsabilidade.

Assim, o público-alvo do EAD é quem possui pouco tempo livre e necessita de um ensino mais prático e de fácil acesso. Por ser virtual, acaba por garantir essa flexibilidades de horários.

A estudante Juliana Emygdio confirma a praticidade do ensino EAD e relata que “[curso EAD] complementa meu trabalho, mas também, tal graduação me possibilita novas oportunidades, novos concursos.”.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •