Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Cerca de 76 profissionais da Educação do Amazonas – dentre gestores, pedagogos e professores – participaram na segunda-feira (19/08) do primeiro dia da formação continuada “O Novo Ensino Médio: Flexibilização Curricular e as Novas Formas de Aprender”, na Escola Estadual Senador Petrônio Portella, Dom Pedro II, zona centro-oeste de Manaus. A iniciativa é promovida pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM), por meio do Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (Proeti).

A unidade de ensino recebe, até sexta-feira (23/08), das 8h ao meio-dia e das 13h às 17h, 20 workshops no campo de Fruição das Artes, e 20 módulos na área de Prática do Desporto. Além da escola estadual, a Faculdade Boas Novas, na zona sul da capital, também acolhe a atividade. Lá, os cursistas participam de oficinas sobre Componentes Flexíveis, como Projeto de Vida e Empreendedorismo e Prática Acadêmica e Metodologia do Estudo. A formação tem como objetivo ampliar as práticas pedagógicas desses profissionais, conforme as especificidades do Novo Ensino Médio.

Dos 76 participantes na EE Senador Petrônio Portella, pelo menos 40 são do interior do estado. Ao todo, a iniciativa atenderá a 13 municípios (fora Manaus): Itacoatiara, Parintins, Beruri, Humaitá, Presidente Figueiredo, Borba, Maués, Barreirinha, Nhamundá, Manicoré, Anori e Novo Airão. Os profissionais do interior chegaram à capital no domingo (18/08) e, durante a estadia, receberão hospedagem, alimentação e transporte.

Para o professor de Fruição das Artes, João Cardoso, de Maués, a atividade é uma oportunidade para que os educadores possam adquirir mais conhecimento em seus campos de atuação – com base no Novo Ensino Médio. “Essa formação precisava acontecer, e estou bastante animado e confiante de que levarei um conteúdo diferenciado para os meus alunos. [Fruição das Artes] é uma disciplina relativamente nova e ainda não tínhamos tido, até então, uma capacitação específica para essas mudanças”, afirmou.

Também professora de Fruição das Artes, Francinês Sá, de Itacoatiara, acredita que a iniciativa proporcionará aos profissionais da Educação um maior arsenal de conteúdos e práticas pedagógicas para serem trabalhados com os estudantes do estado. “Com essa capacitação, fica melhor para nós orientarmos nossos alunos. Como ainda não tínhamos tido nenhuma atividade de formação voltada a essas mudanças, precisávamos fazer muitas pesquisas por conta própria, por meio da Internet”, revelou Francinês.

Prática do Desporto – Juntamente às oficinas de Fruição das Artes, a EE Senador Petrônio Portella recebeu, ainda, módulos para atividades teóricas e práticas desportivas. O objetivo, segundo a professora de Educação Física, Núbia de Souza Parente, de Humaitá, é que haja uma ampliação tanto do conteúdo quanto da prática da modalidade nas escolas do Amazonas.

“Aprendizagem nunca é demais, e hoje voltamos a ser alunos [risos]. Nós nunca tivemos uma preparação para o Novo Ensino Médio, e essa troca de experiência será bastante benéfica para a gente, tenho certeza”, reforçou Núbia.

Para o também educador físico Gertymillusom Maciel, de Itacoatiara, a implantação do Novo Ensino Médio é algo recente e precisa ser difundido para todo o Amazonas. “Até essa formação, a única orientação que tínhamos era a do Ministério da Educação (MEC), algo muito vago para a gente. Agora, com essa capacitação oficial da Seduc-AM, acredito que nós, professores, estaremos aptos a desenvolver um trabalho ainda melhor que aquele que desempenhávamos em nossos municípios”, acrescentou.

Inédito – A formação continuada “O Novo Ensino Médio: Flexibilização Curricular e as Novas Formas de Aprender” é algo inédito para a Educação no Amazonas. De acordo com a coordenadora geral das Escolas em Tempo Integral da Seduc-AM, Antônia de Godoy, a atividade era aguardada pelos professores desde 2017.

“Somente agora, na gestão do secretário Luiz Castro, foi possível realizá-la. Será um grande avanço, pois, na atualidade, o Novo Ensino Médio recomenda uma educação básica de forma integral, além de defender o protagonismo dos nossos estudantes”, destacou a coordenadora.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •