Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O secretário Municipal de Cultura e Turismo de Maués, Benedito Teixeira de Jesus e o sub, Márcio José dos Santos Marques, de acordo com o vereador Luizinho Canindé (PDT), foram acusados via Facebook, de cobrança de propina e corrupção, pelo empresário Eduardo Bruno Freitas, dono da Matrix Fogos e Shows Pirotécnicos. O parlamentar afirma que em postagem na rede social, o fornecedor diz que teve de pagar para realizar os serviços das festas de carnaval, aniversário da cidade, Festival de Verão e a Festa do Guaraná, todas realizadas pela prefeitura do município.

“Essa é prova de que a atual administração municipal tem uma espécie de “Caixa Dois”, que eu chamaria de Mensalão Sataré”, disparou o vereador, informando que na sua denúncia o empresário, diz que por não ter pago antecipadamente a propina exigida pelo secretário e o sub, sua empresa deixou de participar da festa de Réveillon de 2013, realizada na praia da Maresia.

Sem atender os pedidos, de acordo com a denúncia, a prefeitura realizou uma licitação em dezembro passado para compra de fogos, afim de atender o réveillon, onde só a empresa de Eduardo Freitas, concorreu e mesmo assim ela foi desclassificada.

Denúncia do MP

O vereador Luizinho Canindé (PDT), disse ao Fato Amazônico, por telefone, que como o recesso forense termina amanhã, ele irá de imediato procurar o representante do Ministério Público, para levar ao conhecimento do órgão, as denúncias feitas pelo empresário que há anos fornece fogos a Prefeitura de Maués.

“Como existe as postagens no Facebook e outras provas, esperamos que o Ministério Público, tome uma providência a respeito das denúncias do empresário”, disse o parlamentar.

Luizinho, garantiu ainda, que quando voltar os trabalhos da Câmara Municipal, irá solicitar que o secretário e o sub, compareçam à Casa Legislativa, para dar explicações a respeito das denúncias do empresário. “Somos quatro vereadores de oposição e tenho certeza que contarei com o apoio de todos”, acrescentou.

Prefeito apurará as denúncias

A transparência pública continuará sendo ponto primordial na administração da Prefeitura de Maués. O prefeito pe. Carlos Góes (PT) solicitou que seja instalada uma Comissão para apurar denúncias na Secretaria de Cultura e Turismo apresentadas nas redes sociais pelo empresário de fogos Eduardo Freitas.

No mês de dezembro 2013, a Empresa Importadora e Exportadora Fogos da Amazônia ficou fora do Pregão para o Réveillon, mesmo sendo a única concorrente, o que teria motivado a acusação contra o Secretário e um assessor de irregularidades no pregão.

Eduardo Freitas não cumpriu com as exigências do Pregão. Ele não apresentou a assinatura do proprietário reconhecida em cartório a qual representava considerando assim falsidade ideológica.

Empresário Eduardo Bruno, autor das denúncias, será denunciado pela prefeitura de Maués

Outro fato ressaltado pelo prefeito, é o fato de Eduardo ter ameaçado a pregoeira e ter oferecido propina para que a empresa participasse do Pregão de forma irregular. O prefeito lamentou a atitude do empresário que havia participado dos eventos no Festival de Verão e Festa do Guaraná.

De acordo com a assessoria de imprensa, será feita uma queixa crime na Delegacia de Polícia Civil contra o empresário que usou de má fé com a Prefeitura. Para ele o governo não será manchado por tentativas de corrupção ou acusações sem provas.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •