Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sob vaias e protestos de funcionários públicos que lotaram a galeria da Assembleia Legislativa do Estado, a mensagem governamental nº 84, que congela salário de servidores e gastos no executivo de setembro de 2019 até agosto de 2021, foi aprovada com 13 votos a favor em sessão tumultuada na ALE-AM nesta sexta-feira, dia 12.

Os deputados, Josué Neto (PSD), Cabo Maciel (PL), Serafim Corrêa (PSB), Wilker Barreto (Podemos), Dermilson Chagas (PP), Augusto Ferraz (DEM) e Delegado Péricles (PSL) votaram contra aprovação do projeto.

Deputado culpa Amazonino

Em pronunciamento, durante a votação da matéria, o deputado estadual Felipe Souza (Patriota) disse que o governador Wilson Lima já recebeu o Estado endividado e precisa tomar medidas urgentes para recuperar o equilíbrio das contas estaduais.

“O Governo precisa agir com austeridade, Wilson Lima recebeu um Governo endividado pelo ex-governador (Amazonino Mendes) e pelo ex-presidente da Assembleia (David Almeida), que brincaram com o poder. O TCE já fez a terceira recomendação ao Governo do Estado, que não pode dar aumento aos servidores, porque os gastos com a Lei de Responsabilidade Fiscal já estão em quase 53% e o Governo não pode mais conceder reajuste”, disse Felipe Souza, ao lembrar que a prova de que o atual Governo recebeu o Estado com dívidas foi a reprovação das contas do ex-governador Amazonino Mendes pelo TCE.

Maciel vota contra governador

“Pela coerência do meu mandato, por respeito pelo servidor púbico e por respeito ao povo do Amazonas o meu voto é contrário a Mensagem Governamental 84”, afirmou o deputado Cabo Maciel, que votou contra a mensagem do governo e colocou a disposição do governador Wilson Lima o posto vice-líder do governo na Aleam.

Augusto Ferraz, que também votou contra a mensagem subiu na tribuna e disparou: “Estou com vocês até a morte – minha pátria que é o Amazonas – voto com o Cabo Maciel”.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •