Foto: Adriano Machado
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em nota divulgada nesta terça-feira (10/12/2019), o Partido dos Trabalhadores acusou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, de abusar do cargo e usar a Polícia Federal para expor familiares do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As informações são de Metrópoles.

O texto, assinado pela presidente da sigla, deputada Gleisi Hoffmann (PR), diz também que a nova operação da Lava Jato tem o objetivo de pressionar o Supremo Tribunal Federal com acusações falsas e pede que a Corte julgue, o mais rápido possível, o processo que pede a anulação da condenação do ex-presidente com base na suspeição de Moro.

De acordo com o Ministério Público Federal, o objetivo da operação é aprofundar as investigações sobre repasses financeiros suspeitos realizados por empresas do grupo Oi/Telemar em favor de da Gamecorp/Gol, controladas por Fábio Luis Lula da Silva (filho do ex-presidente Lula), Fernando Bittar, Kalil Bittar e Jonas Suassuna.

Nesta terça-feira, foram cumpridos 47 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e no Distrito Federal, mas não há ordem de prisão.

Confira a íntegra da nota divulgada pelo PT:

“No mesmo dia em que o Datafolha confirma que a maioria da população considera justa a decisão do Supremo Tribunal Federal reconhecendo o direito do ex-presidente Lula recorrer em liberdade da sentença ilegal e injusta de Sergio Moro, os procuradores da Lava Jato e a Polícia Federal comandada pelo ex-juiz demonstram mais uma vez sua inconformidade com a Justiça e o estado de direito democrático.

Em mais uma operação midiática, espalhafatosa e ilegal, os procuradores e a PF de Moro promoveram nesta terça (10/12) uma exposição caluniosa de familiares de Lula, com claro objetivo de atingi-lo. Divulgaram mais uma vez ilações e acusações falsas sobre fatos que já foram objeto de investigação da própria PF e do MP Federal, arquivados por decisões judiciais desde 2010, todas no sentido de negar a prática ilícitos.

Chega a ser indecente a insubordinação de Sergio Moro, seus parceiros e subordinados diante da decisão do STF que reafirmou o princípio constitucional da presunção de inocência para todos os cidadãos, e não apenas Lula, que é o alvo de sua perseguição.

O ministro da Justiça de Bolsonaro abusa do cargo para pressionar o Congresso a romper uma cláusula pétrea da Constituição. Abusa de seu comando sobre a PF para envenenar a sociedade com mentiras. Acuado, tenta pressionar o próprio Supremo, que tem em pauta o julgamento de um habeas corpus em que é demonstrada, com fatos e provas, a suspeição do ex-juiz, que mentiu, grampeou advogados e cerceou a defesa de Lula.

A operação de hoje reforça a necessidade do julgamento do habeas corpus da suspeição de Moro pelo STF, para que cesse de vez a perseguição movida por ele contra Lula. Da mesma forma, é necessário julgar o habeas corpus em que a defesa de Lula demonstra, com fatos e provas, a suspeição dos procuradores de Deltan Dallagnol, confirmada e reforçada pela barbaridade jurídica que cometeram na data de hoje.

O PT apoia incondicionalmente Lula na busca pela verdadeira justiça. Esta é uma causa que diz respeito à preservação do estado de direito e à defesa da democracia no Brasil.”


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •