Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A promotora de justiça Jarla Ferraz Brito, de Novo Aripuanã, realizou diligência na comunidade rural do município para apurar informação, prestada pelo Conselho Tutelar de que uma criança de 5 anos estava sendo vítima de maus tratos pelo padrasto.

Policiais militares, conselheiros tutelares e a assistente social, acompanhados da promotora foram local onde a família reside. No exame inicial da criança, não havia sinais de violência, mas a família passará a ter acompanhamento profissional para um estudo mais detalhado da convivência dentro de casa.

Na residência da família, moram apenas a mãe, dois filhos pequenos e o marido. Na segunda-feira, dia 6, a mãe deverá comparecer ao conselho tutelar e Ministério Público para prestar mais informações.

“Como agora, na pandemia, aumentou a violência contra mulheres, crianças e adolescentes, achei melhor ir verificar pessoalmente”, diz a promotora Jarla Ferraz.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •