Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Durante o segundo dia de operação para fazer cumprir o decreto do toque de recolher, no município de Parintins, uma viatura descaracterizada da Polícia Militar foi alvo de apedrejamento, na tarde deste domingo (10). O ataque ocorreu no momento em que a Guarda Municipal combatia empinadores de papagaio de papel próximo ao campo do São Paulo, no bairro Paulo Corrêa. 

A equipe fiscalizava a circulação de pessoas nas ruas e espaços públicos, fora do horário permitido no Decreto da Prefeitura de Parintins, vigente de 09 a 31 de maio, contra a proliferação do novo coronavírus, quando foi surpreendida pela ação de violência. Um empinador de papagaio desacatou a ordem dos guardas municipais e jogou, na direção na viatura, a lata, onde enrola a linha com cerol.

Em seguida, o indivíduo correu para chamar reforço de um irmão, intimar com palavras de baixo calão e atirar pedras na equipe da operação do toque de recolher. Os guardas municipais tentaram se proteger usando a viatura como escudo e o motorista acabou sendo atingido gravemente na boca, tendo os lábios partidos e sagrando muito. 

Os acusados conseguiram fugir do local, após a prática criminosa. Quem testemunhou a ação de violência, diz que os dois irmãos têm aparência entre 20 e 25 anos. O guarda ferido foi resgatado pelos colegas de operação, levado para estancar o sangue no Posto de Saúde Dom Arcângelo Cerqua, no Bumbódromo, recebeu curativo no Hospital Padre Colombo. 

O Sargento Carlos Miranda informou que a Guarda Municipal vai registrar Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil de Parintins, nessa segunda-feira (11). Os autores vão responder pelos crimes de dano ao Patrimônio da Fazenda Estadual, por causa do vandalismo na viatura, e lesão corporal ao guarda. Já em relação ao descumprimento do decreto do toque de recolher a pena para pessoa física de R$ 300 a R$ 5 mil


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •