PMs do 11° Batalhão, acompanhada pela cão farejadora realizou ajudou nas buscas na área e participaram do resgate da criança (Foto Divulgação)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O mistério do desaparecimento de um menor de 12 anos, ocorrido na Ocupação do Castanhal, atrás do Bairro União, em Parintins, terminou no começo da tarde de sábado (04). O menino sumiu, quando terminou de brincar no fundo de um quintal próximo da casa da família, no início da noite de quinta-feira (02).

Uma casa de madeira, abandonada, serviu de esconderijo para a criança, feita de refém por um homem desconhecido, encapuzado. Durante o período de cativeiro, o garoto, estudante da Escola Municipal da Paz de Parintins, ficou amarrado, amordaçado, e sofreu tentativa de abuso sexual e até ameaça de morte.

Populares se uniram aos familiares para procurar pelo menino nas residências fechadas nas proximidades do local do desaparecimento e o encontraram já debilitado, neste sábado. Nas noites de quinta-feira (03) e sexta-feira (03), o menor de 12 anos escapou de ser estuprado, inúmeras vezes, pelo sequestrador. 

Uma equipe do 11° Batalhão da Polícia Militar, acompanhada pela cão farejadora Ronda, da raça Pastor Belga Malinois, realizou ajudou nas buscas na área e participou do resgate da criança. O menino foi encaminhado para atendimento no Hospital Padre Colombo, onde atestou que não houve conjunção carnal.

A Polícia Civil de Parintins já investiga o caso para desvendar a autoria do crime. O garoto não conseguiu identificar o rosto do sequestrador. A casa, onde o menor ficou escondido, foi alvo de vandalismo e destruída. O Conselho Tutelar e Comissariado da Infância e da Juventude acompanham a criança violentada.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •