Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A estudante de psicologia Thalia Nascimento de Oliveira, 18 anos, foi morta com um tiro no pescoço no amanhecer deste domingo, por volta de 5h30, na estrada AM 010, entrada do município de Rio Preto da Eva (58 quilômetros de Manaus). O sargento PM, identificado como Rosivaldo Oliveira, lotado na 3ª Companhia Independente de Polícia Militar, seria o autor do disparo.

A vítima estava em uma motocicleta, pilotada por um homem até o momento identificado como “Caio”, que teria furado uma barreira policial na entrada da cidade nas proximidades do Auto Posto Rio Preto. O PM teria sacado a arma e disparado contra o casal que estava na moto. O tiro atingiu o pescoço de Thalia Nascimento que caiu da motocicleta na pista, já sem vida, enquanto o piloto fugiu.

Sargento conduzido a Manaus

O comandante geral da PM, coronel Ayrton Norte, por telefone, disse ao Fato Amazônico que assim que tomou conhecimento, apesar do sargento ter sido apresentado na delegacia de polícia, determinou que Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD), conduzisse o militar ao comando geral em Manaus.

“Infelizmente um sargento com 28 anos de polícia, agiu precipitadamente e resultou na morte da universitária”, disse Norte, informando que se trata de um crime militar, uma vez que o sargento estava de serviço e será flagranteado como determina a lei.

Ayrton Norte disse ainda que ao tomar conhecimento de que populares ameaçavam invadir a delegacia em Rio Preto, determinou que um reforço policial fosse encaminhado ao município.

“Também determinei que o comandante da companhia se apresente ao Comando Geral na segunda-feira”, acrescentou o comandante da geral da PM.

Entenda caso

A universitária Thalia Nascimento, teria saído de uma festa no município, acompanhada de “Caio”. Os dois estavam em uma moto e seguiam para o Auto Posto Rio Preto, localizado na Am 010, na entrada do município da Região Metropolitana de Manaus.

A moto passava na barreira policial nas proximidades da rodoviária de Rio Preto, quando teria sido dado o sinal para o piloto parar. Mas ele seguiu em frente furando o bloqueio policial.

O sargento Rosivaldo Oliveira, de imediato teria sacado sua pistola e efetuado o disparo que atingiu o pescoço de Thalia, que estava na garupa da moto. Ela caiu já sem vida.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •