Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Filho de mãe empregada doméstica e estudante de Psicologia e pai professor de música e estudante de Direito – que teve de trancar a faculdade devido ao aperto financeiro da família -, Luiz Neto é uma criança de Teresina (PI) que aprendeu a ler aos 3 anos de idade e, hoje, aos 11, ajuda a família vendendo trufas com um sorriso no rosto.

A felicidade do menino, no entanto, não foi a mesma na última segunda-feira (20), quando uma senhora tentou humilhar o rapaz após ele oferecer os doces em pizzaria.

“Eu cheguei na mesa para oferecer bombons e escutei a mulher falando para as duas filhas que era para elas estudarem para não ficarem igual a mim vendendo bombons na rua. Eu fiquei muito magoado e chorei”, contou ao programa Bom Dia Meio Norte.

Luiz chegou ao noticiário logo após uma publicação feita pelo pai, Neto Moreira, nas redes sociais através da conta Família Trufas. “Educado dentro de uma realidade humilde, mas com muita dignidade, seu sonho é ser DEFENSOR PÚBLICO. Buscamos sempre motivar nosso filho a ser cidadão, independente do ele venha a ser na vida, e por isso o levamos conosco nesse trabalho que nos dá muito orgulho, para que ele aprenda de cedo a ver como trabalho dignifica e gratifica”, disse Neto na postagem.

Brilho

“Meu filho veio chorando, desanimado e triste, e isso me partiu o coração, pois nunca o vi assim. Mas meu motivo aqui, não é criticar a mãe e suas filhas não, estou aqui para agradecer A elas, pois me deu a oportunidade de falar para meu filho, que pessoas que não tem brilho só querem apagar o brilho dos outros, e motivá-lo a ser grande, a ter ambição e deixar por conta do destino a verdadeira resposta para essas pessoas”, diz a postagem.

O pai conta ainda em entrevista ao portal Cidade Verde que sempre vende na pizzaria e nunca aconteceu nada do tipo. Ele ainda revelou que já passou por situações embaraçosas, mas nenhuma parecida com a que o filho sofreu.

A história comoveu diversas pessoas nas redes sociais, que agora acompanham a conta da família e os passos dados pelo jovem. (Revista Fórum)

View this post on Instagram

OBRIGADO POR TENTAR NOS HUMILHAR Olá! Gostaria de compartilhar com vcs, algo que aconteceu ontem com meu filho, Luizinho em pizzaria do bairro Buenos Aires enquanto trabalhávamos vendendo nossas trufas. Pois bem! Luizinho tem 11 anos, aprendeu a ler aos três anos, e ler muito bem, hábito que mantém até hoje. Desde do o primeiro 1° ano na escola até agora no 6° ano que as suas notas é sempre acima de 8. jogar xadrez, canta, tocar violão joga maravilhosamente futebol. Educado dentro de uma realidade humilde, mas com muita dignidade, seu sonho e ser DEFENSOR PÚBLICO. Sua MÃE a 10 é empregada doméstica e estudante de psicologia. seu PAI ( eu ) ESTUDANTE do 8° período de DIREITO. Buscamos sempre motivar nosso filho a ser cidadão independente do ele venha a ser na vida, e por isso o levamos conosco nessa trabalho que nos dar muito orgulho, para que ele aprenda de cedo a ver como trabalho dignifica e gratifica. meu filho tem um bom videogame, bom celular, tudo que uma criança gostaria de ter fruto do seu trabalho e desde então não me pedi um centavo. Ontem ele veio triste, envergonhado, pois em uma mesa, de uma pizzaria uma mãe com suas filhas o constrageram por conta do seu trabalho, e sorriam de forma debochada e jogaram piadinha. Meu filho veio chorando desanimado e triste, e isso me partiu o coração, pois nunca o vi assim. Mas meu motivo aqui, não é criticar a mãe e suas filhas não, estou aqui para agradecer A eleas, pois me deu a oportunidade de falar para meu filho, que pessoas que não tem brilho so querem apagar o brilho dos outros, e motiva- lo a ser grande, a ter ambição, e deixar por conta do destino a verdadeira resposta para essas pessoas. Como diz a musica: " trabalhar não ADOECE, não MATA e engrandece, só cresce a moral e respeito à quem merece" que DEUS abençoe a todos. FAMÍLIA TRUFAS

A post shared by Famíliatrufas (@familiatrufas) on


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •