Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Homens doCorpo de Bombeiros encontraram, às 10h desta terça-feira, o corpo do empresárioEveraldo Paulo de Miranda, 42 anos, que desapareceuna noite de ontem quando praticava stand up paddle – uma modalidade esportiva que consiste no uso de prancha e um remo – na raia olímpica da Universidade de São Paulo (USP), na zona oeste da capital paulista.

Desde a noite de ontem, a corporação procurava pelo empresário, que desapareceu por volta das 20h, quando a região foi atingida por uma ventania, segundo testemunhas.

O desaparecimento de Everaldo foi percebido após uma prancha ser encontrada boiando na raia. De acordo com a Guarda Universitária, o carro da vítima permaneceu no estacionamento a noite toda, o que aumentou a suspeita de um afogamento.

Fonte: noticias.terra.com.b

O corpo da vítima foi reconhecido por familiares que, desde o início da manhã, acompanhavam as buscas no local.

Buscas

Segundo o capitão Alexandre Antunes, a raia olímpica da USP tem cerca de 6 metros de profundidade. Quinze homens, incluindo mergulhadores, participaram da ação.

A primeira equipe chegou ao local ainda na noite de ontem, quando recebeu o chamado de um grupo de praticantes de stand up paddle. “A informação que nós temos é de que no horário do desaparecimento, por volta das 20h, ventava muito, mas ainda não havia começado a chuva. Provavelmente ele deve ter caído na água e a prancha foi embora”, disse o capitão.

Por causa do horário, os bombeiros não iniciaram as buscas com mergulho na noite de ontem, mas uma equipe passou a noite no local vigiando as margens. “Durante a noite não é recomendado fazer pesquisa de mergulho, até porque – pelo horário da ocorrência – não era o caso de recuperar com vida. O que fizemos foi a busca do corpo”, disse o bombeiro.

As hipóteses levantadas pela equipe de busca são de afogamento, que poderia ter sido provocado por um simples desequilíbrio ou por um problema de saúde.

Mãe diz que vítima não sabia nadar

Elci Miranda, mãe do empresário, disse que o filho não sabia nadar. Mais tarde, porém, a informação foi desmentida pela irmã da vítima, Elizabeth Miranda, que informou que Everaldo “era um esportista” e saberia sim nadar.

Os bombeiros informaram que o homem foi encontrado apenas com bermuda e camiseta, sem colete salva-vidas. De acordo com os familiares, Everaldo praticava stand up paddle há cerca de 15 dias.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •