Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As ações de educação ambiental da Prefeitura de Manaus foram destacadas como boas práticas voltadas à questão da redução dos impactos causados pelos resíduos na natureza, durante a abertura do 2º Encontro Lixo Zero, que teve início na terça-feira, 26, em Manaus, e segue até a quinta-feira, 28/5.

O evento acontece, simultaneamente, em mais de 40 cidades em todo o mundo. Em Manaus, o encontro conta com painéis sobre “Educação e Conscientização”, “Reciclagem” e “Redução e Reuso”, além da participação de instituições como a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), o Movimento Nacional de Catadores, projeto Remada Ambiental e representantes da iniciativa privada.

O titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Antônio Nelson de Oliveira Júnior, foi um dos palestrantes do painel de abertura, que teve como tema Políticas Públicas. Ele destacou os desafios da educação ambiental no contexto da gestão municipal de resíduos sólidos e a importância da parceria com a Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), no desenvolvimento de ações de sensibilização da sociedade. O evento, que em virtude da pandemia da Covid-19 acontece por teleconferência, é promovido pelo Instituto Lixo Zero Brasil.

As parcerias permitiram à Prefeitura de Manaus encerrar o ano de 2019 com um universo de aproximadamente 43 mil pessoas, atingidas pelas ações de educação ambiental. “É um trabalho de formiguinha, presente nas comunidades, em contato com as pessoas, buscando sempre  uma mudança de comportamento em relação ao meio ambiente”, explicou o secretário, lembrando que a Semmas participa de atividades próprias  e de diversas outras secretarias e órgãos parceiros, sempre levando a mensagem da importância da conservação ambiental para uma vida melhor, por meio de palestras, oficinas, distribuição de material informativo, exposições,  projetos sociais, a exemplo do “Prefeitura + Presente”.

O secretário enfatizou que a questão dos resíduos sólidos é transversal ao trabalho desenvolvido pela Semmas na área de educação ambiental. Nesse aspecto, ele ressaltou as oficinas de capacitação em reaproveitamento de resíduos e as formações de brigadas de combate ao caramujo africano nas comunidades. “As duas políticas públicas se unem à missão de limpeza pública da Prefeitura de Manaus”, observou.

O trabalho das oficinas de reaproveitamento leva em conta a vivência das pessoas e as necessidades socioeconômicas das mesmas.

“Nas oficinas de reaproveitamento estimulamos as pessoas a aderirem à coleta seletiva, ou seja, a separarem seus resíduos em casa, na rua e no bairro onde moram. Ao invés de ir para o lixo, esse material se transforma e ajuda em geração de renda para as famílias”, afirmou o secretário.

Levantamento dos últimos três anos mostra que a Semmas atuou na formação de mais de 700 multiplicadores de técnicas de reaproveitamento de resíduos na cidade. As oficinas duram um mês e acontecem no Espaço da Cidadania Ambiental (Ecam), no shopping São José, zona Leste, gerido pela Semmas. Foram 50 oficinas entre 2017 e 2019. As brigadas de combate ao caramujo africano também se caracterizam como uma estratégia de enfrentamento na questão dos resíduos na cidade.

A proliferação da espécie invasora está diretamente relacionada à existência de entulhos e lixeiras viciadas em terrenos baldios, quintais das residências e áreas públicas.  A ideia da formação de brigadas tem como finalidade envolver a comunidade no combate ao acúmulo de resíduos e na erradicação da praga. Entre 2017 e 2019, foram 597 brigadistas formados e que também passam a atuar como multiplicadores de informação.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •