Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Cerca de 40 alunos da Escola Municipal Professora Rita de Cássia da Silva, localizada na Rua Nova Jerusalém, bairro Novo Israel, Zona Norte, assistiram, ontem a palestra “Consequências do Bullying”, ministrada por psicólogas, assistentes sociais e fonoaudiólogas do Centro Municipal de Atendimento Sociopsicopedagógico (Cemasp), Polo 2, da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A unidade possui 21 alunos com necessidades educativas especiais. O tema abordado foi solicitado pela coordenação da escola. Cinco alunos de cada turma, do 3º ao 5º ano, foram escolhidos para conferir a palestra. No decorrer da semana, eles têm a missão de transmitir o que aprenderam aos demais alunos e para a família.

“Nós temos um grande número de alunos inclusos que foram recebidos muito bem pelos estudantes da escola, mas também temos aqueles que vêm de outras escolas e que não conseguiram se adaptar com os colegas. Daí a importância de ensinar a respeitar a diversidade e fazê-los entender que é necessário que todos respeitem uns aos outros”, disse a pedagoga Márcia Arthemis.

A assistente social Edilane Monteiro informou que o Cemasp Polo 2 atende a 119 escolas municipais da Divisão Distrital Zonal Norte 1 e 2. “Temos uma relação de palestras com vários temas. A escola recebe as palestras de acordo com o tema que a comunidade almeja. É muito comum abordamos a questão do bullying com as crianças”, contou.

Ainda de acordo com Edilane, a solicitação de palestras nas escolas é cada vez mais frequente. “Hoje, nós percebemos que a demanda é maior. O bullying, por ser relativamente novo, é um dos temas mais solicitados. A inclusão trouxe essas crianças para as escolas e, embora as professoras trabalhem o tema na sala de aula, colaboramos para a inclusão ser algo possível. Trabalhamos para que a criança passe pela vida escolar de uma forma tranquila”, completou.

As palestras são ministradas de forma lúdica e interativa, com o uso de imagens, vídeos, questionamentos e reflexões. A psicóloga Tânia Vaniete afirmou que os alunos saem sensibilizados das palestras. “Percebemos que alguns estudantes estão tendo determinados comportamentos que estão influenciando principalmente as crianças da sala de recursos. Com o trabalho sobre as consequências do bullying, o aluno muda as atitudes, passa por uma conscientização e aprende a respeitar o outro”.

A professora da sala de recursos da escola, Georgina Souza, garante que o trabalho realizado pelos professores e pela equipe do Cemasp contribui positivamente para a convivência de todos os alunos. “É importante a conscientização de todos os alunos. Percebemos o respeito com as crianças especiais. Durante a hora do recreio, por exemplo, eles se ajudam, brincam juntos e é raro vermos casos de discriminação”, contou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •