Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Uma estudante de 37 anos foi presa por fazer mais de 200 abortos clandestinos. Os procedimentos eram feitos em hotéis de Belo Horizonte (MG). Luciane Fernandes cobrava até R$ 8 mil das mulheres e usava remédios veterinários.

Os abortos eram realizados sempre entre as 9h e 17h, segundo reportagem do Fantástico. Os crimes foram praticados dentro de 24 hotéis em Belo Horizonte e na região metropolitana da capital.

A mulher foi presa em flagrante dentro de um dos hotéis. Na ocasião, ela estava prestes a realizar o aborto em duas mulheres, de acordo com a Polícia Civil. Os donos e funcionários dos estabelecimentos negam ciência do crime.

A prática é considerada ilegal e perigosa. “Há restrição dessa medicação até mesmo no meio animal, dada as consequências, os efeitos colaterais que provoca”, afirmou o delegado Emerson Moraes em entrevista à reportagem.

A mulher, contudo, ficou presa apenas por 21 dias. Luciane conseguiu liberdade na justiça ao alegar que precisaria cuidar do filho, de 6 anos. Ela deve responder pelo crime de aborto provocado com o consentimento de gestantes e manipulação de medicamentos sem certificado da Anvisa. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •