Foto: Rebekah Fontes Fato Amazônico
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na tarde desta quarta-feira (01), a secretária de comunicação do governo do estado do Amazonas, Daniela Assayag, realizou uma coletiva de imprensa para prestar esclarecimentos sobre as acusações feitas sobre ela, na CPI da saúde, de envolvimento indireto na compra de respiradores do estado.

“Não fiz, não faço e nunca farei, ou compactuei ou soube de qualquer ilícito feito dentro deste governo. E atribuo o uso da minha imagem única e exclusivamente para atingir ao governo porque sabem da minha história de idoneidade, de honestidade e de trabalho que eu tenho ao longo de 25 anos de carreira.”, começou a dizer.

Marido seria sócio da empresa? Assayag esclarece:

Foto: Rebekah Fontes/Fato Amazônico

Daniela Assayag explicou que o marido, o médico Luiz Carlos Avelino Jr, assinou contrato de interesse de compra, em parte da empresa Sonoar Equipamentos, mas que em maio desde ano iniciou o distrato do contrato. Sendo assim, não era sócio da empresa durante procedimento de compra.

“Ele chegou a pagar a primeira prestação de compra, mas diante de tudo isso que aconteceu, sem saber do processo de compra, ele fez logo o distrato imediatamente. Por isso, não houve qualquer benefício nesse negócio, qualquer recebimento de dinheiro, qualquer interesse. Não há! As minhas contas bancárias estão abertas, meu telefone, como também estou interessada em prestar qualquer esclarecimento em relação a isso”, explicou.

Depoimento do ex-secretário de saúde

Em depoimento à CPI da Saúde, na última segunda (29), o ex-secretário de Saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias, declarou que era contra a compra dos 28 respiradores por mais de R$ 2 milhões, mas que teria sido convencido a autorizar a aquisição dos mesmos. Na ocasião, ele citou a presença de Daniela Assayag na reunião.

“Teve uma segunda reunião, onde foi feita uma defesa de que esses respiradores seriam equivalentes para o tratamento de pacientes clínicos. E aí, então, teve a minha anuência nesse sentido da compra. Nessa reunião também estava presente a secretária de comunicação, Daniela Assayag. Ela queria saber como estava o processo de compra dos respiradores e, naquela ocasião, ela participou da reunião toda”, relatou.

Ao esclarecer as acusações sofridas, ela afirma que Rodrigo Tobias não mentiu quando afirmou que ela estava na reunião, mas que sua fala foi distorcida por deputados. Além disso, disse que na reunião em questão não houve nomes de empresas citadas

“Ao contrário do que foi dito, o ex-secretário não foi convocado por mim a participar dessa reunião para tratar de compra de respiradores. Eu estava lá para saber das providências do governo.”, relatou.

“Eu não aceito ser colocada em jogo político. Eu estou sim a frente da secretaria de comunicação, mas eu não aceito utilizar o meu nome, a minha história, para atingir o governo”, disse Daniela Assayag, que também não quis responder perguntas pertinentes a gestão, na ocasião.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •