Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Veja – O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou nesta sexta-feira, 22, que o governo americano vai impor novas sanções contra o Irã. A medida é uma reação à censura na internet adotada pelo regime iraniano durante os protestos contra o aumento dos preços dos combustíveis. Desde sábado 15, o governo iraniano cortou a internet no país e ainda não a restabeleceu totalmente.

O principal alvo das novas sanções americanas é o ministro das Informações e Comunicações do Irã, Mohammad Javad Azari Jahromi, por sua “contribuição na censura em larga escala do regime iraniano contra a internet”, segundo o Tesouro americano.

“Os líderes iranianos sabem que uma internet livre e aberta expõe sua ilegitimidade”, disse o secretário do Tesouro, Steve Mnuchin. “Estamos sancionando o ministro de Informações e Comunicações por restringir o acesso à internet, incluindo aplicativos populares de troca de mensagens”, afirmou.

Depois de seis dias de protestos contra o aumento do preço da gasolina, que deixaram mais de 100 mortos, o governo iraniano anunciou que a internet voltaria ao normal e começou a liberar o acesso em algumas áreas do país na quinta-feira 21.

A Guarda Revolucionária Iraniana (IRGC) disse que a “calma foi restaurada” no país na quinta. A agência de notícias iraniana Fars informou que a internet seria restaurada “gradualmente” em algumas áreas do país.

Segundo a organização NetBlocks, que mede o status de conexão no mundo e denuncia a censura nas redes, o acesso à web no país está abaixo de 15% dos níveis anteriores às manifestações.

Os protestos tiveram inicio na sexta-feira 15 quando foi anunciado um plano econômico que busca alavancar receitas em meio às sanções americanas que foram impostas em março de 2018, após a saída unilateral dos Estados Unidos do acordo nuclear iraniano. O regime iraniano anunciou um aumento de pelo menos 50% do preço do combustível aliado ao limite de 60 litros – caso a quantidade comprada exceda o previsto no racionamento, o preço por litro aumentará em 300%.

Antes do aumento, o preço da gasolina era de 10.000 rials iranianos por litro (cerca de 1,26 real). Com o novo plano, pulará para 15.000 rials (1,88 real), podendo a chegar a 30.000 rials (3,77 reais) caso exceda o limite.

Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), a população iraniana convive com o aumento de 40% na inflação do país desde que a campanha dos Estados Unidos que restabelece sanções econômicas contra Teerã, chamada de “pressão máxima”, entrou em vigor.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •