Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A digital influencer e ex-cunhã-poranga do Boi Caprichoso, Maria Azedo, usou as redes sociais na madrugada desta segunda-feira (01/06) para denunciar o ex-marido, o publicitário Bruno Guedes, por ter invadido o apartamento da família dela e levado objetos da residência.

Por meio de vídeos postados nos stories do Instagram, Maria Azedo relatou o que tem vivido e mostrou uma foto com a marca de uma suposta agressão e a legenda: “Ele disse que foi só um tapinha”.

Ela informou que está separada há algumas semanas e, hoje, enquanto não estava em casa teve o apartamento invadido pelo ex-marido de onde levou sua cadela, objetos pessoais e eletrônicos.

“Ele é proibido de entrar no nosso condomínio, mas teve acesso a casa após pular a janela do quarto. Eu tenho medida protetiva, tenho boletim de ocorrência contra ele por violência doméstica, Lei Maria da Penha… Nunca estaria falando aqui se não estivesse aflita”, disse ela.

De acordo com a Central de Notícias da Amazônia (CNA7), a ex-cunhã poranga revelou que vem sofrendo há semanas agressão psicológica e que todas as medidas para se resguardar ela já tomou, mas o publicitário não aceita e as descumpre.

O outro lado

O ex-marido de Maria Azedo, o publicitário Bruno Guedes também usou as redes sociais para responder as denúncias. Ele abriu uma live no Instagram afirmando que nunca agrediu a ex-esposa e que a ama. “Nunca bati na Maria, não. Pelo contrário, ela que me batia”. Ele, prossegue afirmando que a ex-companheira não gostava da filha dele e ao ser questionado pelos seguidores sobre a suposta agressão ele respondeu: “Ela postou uma foto, eu dei um tapinha nela de quatro dedos na perna dela, mano, pra que!”

Um outro seguidor questionou os motivos de não resolverem seus problemas dialogando ou por meio da justiça. Ele assegura que estava ali porque foi exposto e por isso tinha que expor o seu lado. “Eu acho que todo mundo tem o direito de se defender”. Guedes conclui assegurando que Maria Azedo não tem um exame de corpo de delito para comprovar que foi agredida e que ela fez uma medida protetiva contra ele porque suspeitava de uma traição. Com informações de CNA7.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •