Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gazeta Esportiva – O sonho de jogar no futebol europeu é recorrente entre os brasileiros. E Portugal aparece sempre como um dos destinos mais recorrentes. A adaptação costuma ser mais tranquila por conta do idioma, tem um bom nível técnico e a liga local é vista como uma excelente vitrine, visando os campeonatos mais disputados do velho continente.

Aos 21 anos, o lateral-esquerdo Mascarenhas decidiu deixar o Fluminense e seguiu para um novo desafio: jogar na Europa. E o destino do atleta foi o Vitória de Guimarães, equipe que disputa a primeira divisão do Campeonato Português. No entanto, ele não esperava que a pandemia do coronavírus o impediria até mesmo de estrear pelo novo clube. E o lateral conta, em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, como está a vida e a quarentena em Portugal.

“Eu sigo dentro de casa, conforme orientação de todos as instituições de saúde daqui e do mundo todo. Estamos com o campeonato parado e sem previsão de retorno, por enquanto. Então sigo uma rotina de treinos em casa que me mantém em condições de jogo”, contou. “Tenho visto poucas pessoas na rua, acredito que todos estejam respeitando as recomendações, principalmente os idosos e pessoas com doenças crônicas. Sabemos que a situação é muito grave no mundo todo e precisamos fazer a nossa parte para preservar e proteger a sociedade”, completou.

Um dos temores no Brasil e no mundo durante a pandemia é a possibilidade de falta de alimentos e itens básicos, muito por conta dos estoques feitos por uma parte da população. Mascarenhas conta que, pelo menos por enquanto, este problema não foi vivido em Portugal.

Os supermercados estão dando conta da demanda, até porque liberam poucas pessoas por vez para entrar no local, e também limitam a quantidade de um mesmo produto por pessoa. Além disso, o clube tem o cuidado de enviar, todos os dias, café da manhã, almoço e janta para a casa de todos os atletas”.

Quando questionado sobre a possibilidade de passar a quarentena no Brasil, o lateral afirma que optou por não sair da Europa: “Estou com a minha esposa e minha filha aqui em Portugal. Decidimos ficar por aqui, porque a situação estava complicada em relação a voos internacionais, e também não queriam nos submeter a lugares de contágio, e o aeroporto com certeza é um deles”. Mesmo admitindo sentir falta de casa, o atleta se mantém focado em seus objetivos no Velho Continente: “Sinto falta de algumas coisas, sim. Principalmente do contato mais próximo com a família e amigos. Mas todos sabem que estou aqui por uma razão maior e mais forte: minha profissão e minha carreira.

Mascarenhas ainda não teve a chance de estrear pelo Vitória de Guimarães. Emprestado pelo Fluminense, o jogador chegou ao clube pouco antes do surto da covid-19. Mesmo assim, disse que a adaptação ao novo país e time tem sido tranquila, e a hora é de ter foco nesta oportunidade de jogar em solo europeu.

“No momento, minha cabeça está completamente aqui em Portugal. Estou focado em estrear, conquistar meu lugar no time e ter sucesso por aqui. Me dedico muito diariamente para conseguir alcançar meus objetivos, mesmo com toda essa paralisação sigo firme e motivado. Quero poder mostrar meu futebol e conquistar meu espaço”.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •