O ex-vereador Maurício Magom e sua esposa Maria Jussara foram presos por policiais da DERFD acusados de golpe de estelionato (Foto - Erlon Rodrigues/PCAM)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ex-vereador do município de Presidente Figueiredo, Maurício Gomes de Souza, 43, conhecido “Maurício Magom” e sua esposa Maria Jussara da Silva Marreiro, 32, foram presos na quarta-feira (9) por policiais da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD). O casal é acusado de vender por mais de R$ 2 milhões, um imóvel em que moravam alugado.

De com o delegado Demetrius Queiroz, adjunto da Derfd, o casal, por meio de uma procuração falsa, vendeu o imóvel que morava. Ele acrescentou que os mandados de prisão preventiva por estelionato fora expedidos pela juíza Margareth Rose Cruz Hoagen.

Demetrius Queiroz disse que eles alugaram uma casa no V8, fizeram um contrato com promessa de compra e venda e deram três cheques sem fundo ao proprietário, cada um no valor de R$ 1 milhão. E por meio de documento falso, eles venderam o imóvel para um terceiro. Também acrescentou que “Magom” já responde no Tribunal de Justiça do Amazonas por homicídio, dois estelionatos e falsificação de documentos público.

Durante a coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (10), Magom se pronunciou: “Vendi. Vendi o que é meu, tranquilo. Eu já esperava a imprensa aqui pelo motivo que eu sou [uma pessoa] público, sou muito muito conhecido também. Eu sofro há alguns anos uma perseguição política. Eu tenho uma base familiar, tenho filho, tenho essa esposa de 12 anos que é mãe de família e ela não tem nada pra falar. eu vendi o imóvel porque eu paguei mais de R$2 milhões e mais R$58 mil de dinheiro meu e fiquei devendo uma quantia de menos de R$1 milhão”, disse afirmando que sua esposa não teria nada a falar e que irá prestar depoimento para comprovar sua inocência.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •