Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As exportações do Amazonas alcançaram a marca de US$ 79,88 milhões em novembro, o maior valor apurado em 2019. Isso representa um crescimento de 67,36%, quando comparado com novembro de 2018, e de 28,90%, em relação a outubro de 2019, de acordo com levantamento da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti). O estudo, na íntegra, está disponível no site www.sedecti.am.gov.br, item Mapas e Indicadores.

Em novembro, os principais destinos foram Venezuela e Bolívia, o  equivalente a 40,58% das exportações. Dentre os principais produtos exportados do Amazonas para a Venezuela, os Açúcares de Cana apresentaram variação positiva na comparação com novembro de 2018 (200,00%) e outubro de 2019 (182,86%). Para a Bolívia, os principais produtos exportados foram Preparações alimentícias (Preparações para bebidas entre outros), com incremento de 101,58%, na comparação com novembro de 2018, e 47,57%, na comparação com outubro de 2019.

As importações do Amazonas em novembro somaram US$ 677,653 milhões, o equivalente a 4,78% de participação nas importações do Brasil. Em relação a outubro de 2019, ocorreu queda de 27,79%, e na comparação a novembro de 2018, redução de 16,22%. Com exceção da importação de embarcações oriundas da China, ocorreu uma redução da demanda dos polos de produtos eletroeletrônicos e de informática, principais importadores do Estado do Amazonas.

Essa redução teve como principal impacto, o menor déficit na Balança Comercial no ano de 2019, que teve em novembro um saldo negativo no valor de US$ 598 milhões de dólares.

Municípios no interior – Em relação aos municípios do interior, Presidente Figueiredo foi o maior exportador (US$ 5,478 milhões), com participação de 6,86% das exportações do Estado. O principal produto exportado foi Ferro-ligas com destino à China. O segundo município que mais exportou foi Itacoatiara (US$ 5,257 milhões), com participação de 6,58% nas exportações estaduais, cujo principal produto foi Soja, com destino à Noruega.

Nas importações, excluindo Manaus, apenas três municípios realizaram importações: Itacoatiara, Presidente Figueiredo e Coari. Itacoatiara foi o maior importador (US$ 173,978 mil) entre os municípios do interior. A participação, de 0,10% nas importações do estado, teve como principal produto Partes de Equipamentos de Movimentação de Carga, com origem nos Estados Unidos.

Presidente Figueiredo foi o segundo maior importador (US$ 81,880 mil), com participação de 0,05% das importações do estado, tendo Polímeros naturais como principal item, e a China como origem. Coari alcançou o valor de US$ 51,325 mil, tendo como principais produtos importados Torneiras e Válvulas, tendo como procedência o Reino Unido.

Corrente de Comércio – Em novembro, a participação do Amazonas na Corrente de Comércio (a soma das importações e exportações) do Brasil alcançou 2,38%. A Corrente de Comércio do Estado do Amazonas totalizou US$ 757,529 milhões.

Na análise por município, Manaus lidera as compras e vendas, com o total US$ 743,647 milhões, seguido por Presidente Figueiredo, com US$ 5,561 milhões, e Itacoatiara, com US$ 5,431 milhões. Manaus registrou queda de 12,51% na comparação com novembro de 2018, motivado pela diminuição das importações.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •