Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um problema na falta de atualização da versão do Java, no site do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas, levou o advogado Marco Aurélio Choy, presidente em exercício da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Amazonas e presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas dos Advogados, a encaminhar ontem, oficio ao desembargador presidente do TJ, Ari Moutinho, pedindo a suspensão dos prazos processuais.

De acordo com Choy, os advogados instalaram a versão mais atualizada do Java (uma linguagem de programação), e agora estão impossibilitados de peticionar eletronicamente no Tribunal de Justiça, razão que levou o presidente em exercício da OAB-Am a pedir a suspensão dos prazos.

De acordo com a advogada Maria das Graças Monteiro, a atitude do presidente da Ordem, dará amparo aos advogados, que desde a volta do Recesso Forense, estão enfrentando problemas para peticionar eletronicamente no site do Tribunal de Justiça.

“A atualização ocorreu de maneira automática”, disse o advogado Abdalla Sahdo, afirmando que já estava preocupado como iria fazer para resolver os problemas das petições eletrônicas. “Cheguei a pensar que o problema era no meu computador”, acrescentou.

No site do Tribunal de Justiça, a Divisão de Tecnologia da Informação e Comunicação do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (DVTIC/TJAM) deixou um mensagem informando que a versão 7, update 51 do JAVA, recém lançada no mercado, ainda não se encontra homologada para utilização em diversas aplicações, dentre elas os módulos do portal eSAJ.

No aviso a Divisão, diz que “não recomenda a supracitada atualização do JAVA, devendo ser mantida a versão 6, update 45, homologada para uso nas aplicações de Primeiro e Segundo Grau”.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •