Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O que a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus) diz ter sido um tumulto causado por um bando de internas para camuflar uma tentativa de fuga na ala feminina da Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, na verdade de acordo com relatos de familiares das presas, um vídeo e fotos que o Fato Amazônico obteve com exclusividade, houve um “despreparo” de um policial militar da guarda externa, que ao invés de verificar o que estava ocorrendo, resolveu abrir fogo no pátio onde as detentas estavam no banho de sol e jogando voleibol.

Perna de uma detenta ferida, ao lado capasulas de projéteis de PT 40 e as balas de borracha

Familiares afirmaram a reportagem, que as presas estavam jogando voleibol quando a bola caiu do outro lado do muro e com permissão de um policial que estava na muralha uma detenta foi pegar a bola e na volta, quando descia o muro, um outro policial que também estava na muralha, abriu fogo contra as presas, deixando feridas: Andressa Façanha, Adriana Lira e Adriany Silva, grávida de 5 meses e ferida na barriga.

De acordo com relatos, depois da saraivada de tiros de pistola PT 40 (arma de uso exclusivo das policias), começaram os disparos de arma de efeito moral, balas de borracha. “Foram muitos tiros”, disse uma fonte do Fato Amazônico, mostrando fotos dos projéteis de pistola recolhidos e as balas de borracha.

No vídeo, que o site teve acesso, se ouve muitos disparos de arma de fogo e a gritaria das presas dentro da Cadeia Pública, afirmando que irão denunciar o caso aos Direitos Humanos.

“Não houve tentativa de fuga, a direção e a Sejus, sabem muito bem disso”, disparou um familiar, afirmando que estão querendo justificar o erro do policial da guarda externa, que agiu de maneira precipitada, abrindo fogo de pistola contra as detentas que apenas se divertiam no pátio na hora de lazer. “Se ele tivessem usado arma não letal, com certeza não teria ocorrido o tumulto e a gritaria das presas que ficaram desesperadas com medo de serem mortas por tiros de PT 40”, acrescentou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •