Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Aos grito de "assassino! assassino! E assassino", os familiares do universiário Fábio de Souza Ferreira, 26, assassinado pelo policial militar Antônio Augusto da Silva Serrão Júnior, após ter tentado impedir o policial de agredir a esposa em agosto do ano passado, realizaram na manhã desta sexta-feira uma manifestação em frente ao Fórum Ministro Henoch Reis, no Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus, onde o PM esteve para prestar depoimento na 2 Vara do Tribunal do Júri.

De acordo com o irmão da vítima, Frank Ferreira, na próximo semana eles estarão em frente a Corregedoria da Polícia da Militar, onde tramita o Processo Administrativo Disciplinar (PAD), que pode culminar com a exclusão de Antônio Augusto, conhecido na PM como Júnior. "Estamos apenas querendo justiça", declarou, informando os familiares voltarão a fazer manifestações atrás de justiça.

No dia 13 de agosto do ano passado, Júnior se apresentou no 3º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Petrópolis, Zona Sul de Manaus. Em depoimento dado ao delegado Abrahão Cunha, o policial afirmou ter disparado em legitima defesa. Ele afirma que foi atingido por pedradas lançadas pela vítima, mas os familiares de Fábio contestam essa versão e pedem justiça ao caso.

O crime

O crime aconteceu na madrugada de sexta-feira 09.08.2013, após a comemoração de um aniversário na rua Aires de Almeida, bairro da Raiz, Zona Sul de Manaus. Antônio Augusto da Silva Serrão Júnior, que estava acompanhado da esposa, teria tentado agredi-la, quando foi impedido por Fábio de Souza Ferreira, que estava na companhia do primo Mauro Ferreira, 32.

Segundo Mauro, após saírem da festa, nas proximidades da empresa Amazon Aço (avenida Silves), ocupantes de dois veículos, um Kadett e um Honda Civic, ambos de cor preta e placas não identificadas, pararam os carros e atiraram contra Fábio. Ele foi atingido no rosto por dois tiros de uma pistola PT-40, de uso exclusivo da polícia. A vítima chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas morreu ao dar entrada no Serviço de Pronto Atendimento (SPA) da Zona Sul.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •