Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gazeta Esportiva – A diretoria do Flamengo tem mantido algumas reuniões internas para projetar os possíveis impactos de uma mudança na legislação tributário, que termina com a isenção para associações civis sem fins lucrativos. O presidente Rodolfo Landim teme que com uma tributação agressiva seja complicado manter o alto nível que o clube vem conseguido se apresentar no quesito financeiro.

A isenção impera no futebol brasileiro porque a maioria dos clubes se apresenta como associação sem fins lucrativos. Pelo projeto, apresentado pelo deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), que conta com o aval do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), passa a taxar essas agremiações entre 9% e 15%. Hoje, associações estão isentas de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL).

Na visão dos dirigentes a medida visa forçar os clubes a se transformarem em empresas. Nos bastidores Landim tem acionado amigos na área política para tentarem impedir que o projeto seja aprovado.

Dentro de campo o elenco segue trabalhando de olho no duelo de sábado, às 17h(de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), em um confronto direto na luta pela liderança. O Rubro-Negro soma 39 pontos e lidera com dois a mais que seu perseguidor mais direto, o próprio Peixe.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •