Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) pagou ao menos R$ 442,8 mil em auxílio-alimentação ao ex-assessor Fabrício Queiroz e familiares na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

O Ministério Público do Rio (MP-RJ) suspeita, no entanto, que parte dos ex-assessores eram funcionários fantasmas, além de praticarem “rachadinha” no antigo gabinete do filho do presidente.

Além de Queiroz, receberam auxílio-alimentação sua mulher, Márcia Aguiar, que também está presa pelo esquema de corrupção, suas filhas, Nathália e Evelyn, e a enteada, Evelyn Mayara.

Segundo informações do jornal O Globo, em alguns meses foram depositados R$2.740,50 só de benefício, valor que se somava à remuneração de Queiroz.

Em julho deste ano, também foi revelado que Queiroz e a esposa fraudaram documentos para esconder a união estável e receber, junto à Alerj, benefícios que não teriam direito se fossem casados.

Um dos benefícios foi o auxílio-educação para custear os estudos dos filhos. Naquele período, só era permitida a concessão do benefício a três filhos por casal. Como ambos tinham seis filhos, ocultaram a união estável e registraram endereços diferentes para receber o dinheiro para os seis. (Revista Fórum)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •