Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Denunciada pela morte do marido e pastor Anderson do Carmo, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) teria prometido vantagens financeiras para manipular os filhos e convencê-los a não envolvê-la no crime. A estratégia foi descoberta pelos investigadores do caso a partir de depoimentos prestados à polícia.

A parlamentar foi apontada como a mandante do crime e aguardará a abertura de processo no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. Já na Justiça, ela é ré no processo. Nove pessoas foram presas nessa segunda-feira (24/8) por envolvimento na morte do pastor. Entre estas, está uma neta da deputada e seis filhos.

Segundo investigadores, Flordelis teria prometido para o filho Alexander Felipe, conhecido como Luan, uma viagem aos Estados Unidos em troca da desistência de depor contra ela. Já para Lucas Cezar dos Santos, que está preso, a deputada federal teria garantido enviar regalias e objetos de luxo para o conforto do filho na cadeia, caso ele assumisse ter assassinado o pastor Anderson do Carmo por vontade própria e sem mandantes.

A polícia trabalha com a ideia de que havia uma briga interna por poder, finanças e política na família. Anderson controlava a mansão cuidando da distribuição do dinheiro e das tarefas da casa. As investigações apontaram que Flordelis foi a mandante do crime executado pelos filhos, em um plano que teve início em 2018, por discordar da forma como o marido conduzia a administração da moradia. Ele foi morto em 16 de junho do ano passado, enquanto chegava em casa. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •