Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gazeta Esportiva – Na próxima semana, o Fluminense poderá ver o elenco completar três meses de atrasos salariais. Se isso acontecer é grande a chance de muitos procurarem a Justiça do Trabalho em busca de rescisão unilateral de contrato, o que daria o direito a eles de deixar as Laranjeiras sem que o Tricolor recebesse um único centavo. Justamente por conta disso o presidente Mário Bittencourt vem tentando colocar seu prestígio em jogo para conseguir verba para quitar os salários.

Após o empate sem gols com o Fortaleza, no meio de semana, os jogadores falaram da situação financeira, mas existe um otimismo. “O presidente falou em quitar os atrasados na próxima semana e vamos confiar na palavra dele, mesmo sem estarmos mais aqui para cobrarmos. Nosso pensamento está focado apenas na última rodada”, disse o lateral-direito Gilberto.

Dentro de campo o Fluminense volta a atuar neste domingo, às 16h (de Brasília), quando visita o Corinthians na Arena Corinthians, em São Paulo, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

Para este jogo o Tricolor terá desfalques. O zagueiro Digão e o meia Paulo Henrique Ganso foram suspensos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta dos incidentes no empate por 1 a 1 com o Santos e ficam de fora. Já o lateral-esquerdo Orinho, recuperado de dores na coxa esquerda, está à disposição e deve ser relacionado, porém, ficando como opção no banco de reservas.

O time que vai a campo deverá ser definido apenas no treino deste sábado, que vai anteceder à viagem da delegação para a capital paulista.

Com quarenta e três pontos conquistados, o Fluminense precisa de um simples triunfo sobre o Corinthians para se garantir na próxima Copa Sul-Americana. Se tropeçar, terá que torcer para que o Botafogo, com quarenta e dois pontos, não derrote o Ceará no mesmo horário, no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •