Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) ironizou a frase dita pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), em um vídeo publicado nas redes sociais do parlamentar. O mandatário do Planalto mandou Frota “fechar a matraca” porque queria “continuar transando” com ele. Ao Metrópoles, o deputado afirmou que achava que “não fazia o tipo” de Bolsonaro e ressaltou não ter entendido o teor da declaração.

Confira o vídeo:

Frota explicou que publicou o vídeo para comprovar que estava falando a verdade na CPMI das Fakes News nesta semana, quando teve o depoimento invalidado pela ex-colega de partido, Bia Kicis (PSL-DF). Segundo o tucano, Bia negou que estava presente quando o presidente da República o teria repreendido por ter pedido a prisão do ex-assessor Fabrício Queiroz em plenário. “Mas dá para reconhecê-la nas imagens”, justificou.

Para o deputado, Bolsonaro ficou “chateado” porque ele incentivou a prisão de Queiroz: “Bolsonaro sofre de uma coisa chamada ‘filhotismo’. Mexeu com o filho dele, é capaz de mexer na Coaf, na Polícia Federal, na Receita Federal. De fazer acordos com pessoas que a gente nunca imaginaria. Usa e abusa do poder, coisa que criticava antes. Eu atribuo à fala dele a vontade real de esconder algo, de não deixar que a Justiça e a equipe de investigação cheguem ao filho dele, por exemplo”.

Frota rebateu ainda o ataque que recebeu de um dos filhos do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), ainda na CPMI das Fake News. O “filho 03” disse que o ex-correligionário está mais promíscuo hoje do que quando era ator pornô.

“Eduardo me ataca, me chama de ator pornô, mas o pai fala que quer continuar transando comigo. Ele já deu uma declaração uma vez que não tinha problema nenhum fazer pornô, e não tem mesmo. Não sei por que veio com esse ataque retrógrado de um garoto de 15 anos de idade, que ainda não tirou a fralda”, rebateu Frota. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •