Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os ataques do deputado evangélico Marcos Feliciano (Podemos-SP) e do vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) ao general Rêgo Barros, porta-voz da Presidência da República, estão gerando nova crise militar e evidenciando um novo um plano do clã Bolsanaro e seus aliados mais próximos para demitir Rêgo Bastos e sustituí-lo por Carlos Bolsonaro. 

A coluna Painel da Folha de S.Paulo informa  que militares observam com preocupação esses ataques, pois veem neles a repetição de um roteiro já conhecido de demissões.  

O general da reserva Paulo Chagas saiu em defesa do colega. “Rêgo Barros é preparado. Tudo o que ele está fazendo, faz com consentimento. Acho que Carlos quer assumir o papel de porta-voz. E Feliciano tem ciúme de quem tem prestígio com Bolsonaro”, destaca a coluna.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •