Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou na manhã desta quarta-feira (03/06), que os atos do presidente Jair Bolsonaro enfraquecem as recomendações e as medidas de isolamento social. As declarações foram dadas em uma entrevista on-line transmitida pelo jornal “Valor Econômico”.

De acordo com o ministro, os discursos do chefe do Executivo, defendendo a flexibilização da quarentena em meio à pandemia de coronavírus “não são positivos”.

O esforço que se faz no sentido de recolhimento, de isolamento, depende muito menos de força e pressão jurídica. Depende muito de persuasão. Se o presidente atua nesse sentido de flexibilização, ele acaba por enfraquecer o discurso oficial que recomenda o recolhimento. Isso obviamente não é positivo”, afirmou.

Para Gilmar Mendes, Bolsonaro “tenta ser um animador de forças políticas que o apoiam”. E, com isso, tira a legitimidade do que dizem as autoridades da Saúde.

Na entrevista, o ministro do STF lembrou uma reunião que teve com o presidente no início dos efeitos da pandemia no Brasil. Ele afirmou que Bolsonaro se mostrou “atormentado” com os impactos sociais e econômicos do isolamento social.

Com a adoção de medidas de flexibilização sendo tomadas por governos estaduais e prefeituras no momento em que o país registra recordes diários de mortes por Covid-19, o ministro alerta que as decisões de relaxamento e reabertura de setores da economia devem ser tomadas “subsidiadas com expertise e documentos técnicos”. Com Metrópoles.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •