Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT-CE), determinou o afastamento dos policiais envolvidos na execução do garoto Mizael Fernandes da Silva, 13 anos, morto pelo Comando Tático Rural (Cotar), da Polícia Militar, com um tiro à queima-roupa enquanto dormia. O governo cearense pediu também “imediata, rigorosa e isenta investigação” do caso para fornecer respostas à família de Mizael e à sociedade. A ação aconteceu em Triângulo, no Chorozinho, região metropolitana de Fortaleza (CE).

O governo não informou quantos e quem são os policiais afastados pelo caso. A família de Mizael foi ouvida na segunda-feira (6/7) pela Controladoria Geral de Disciplina (CGD).

Relembre o caso

Mizael foi morto na última quarta-feira (1/6) durante uma ação da PM, que invadiu a casa onde ele dormia e o atingiu com um disparo de arma de fogo.

Após atirar no garoto, policiais retiraram-no da casa e o levaram até um hospital no município, mas Mizael não sobreviveu. De acordo com a família, agentes da polícia também levaram o edredom e o travesseiro com os quais o menino dormia.

Segundo familiares, Mizael estaria na cidade para realizar um tratamento médico, e estava dormindo na casa de sua tia, Lizangela Rodrigues.

O caso comoveu os moradores da região. Comerciantes baixaram as portas em luto e populares chegaram a protestar ateando fogo em pneus e árvores, bloqueando o km 70 da BR-116 por cerca de uma hora. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •