FOTOS: ALAÍLSON SANTOS/PC-AM
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um grupo criminoso envolvido em golpes avaliados em mais de meio milhão de reais foi preso durante a operação “Clonazione” da Polícia Civil do Amazonas, por meio do 8º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Os suspeitos foram presos em cumprimento de mandados de prisão temporária e de busca apreensão.

Foram presos Adriana Saraiva Salgado, 34, Ayrton Freire Salgado, 25, Fernando Fernandes de Oliveira, 40, Giovanna Costa Perdigão, 25, e Levino Souza Evangelista Filho, 34. As prisões ocorreram nos bairros Tarumã, Santo Agostinho, Petrópolis e Nossa Senhora das Graças.

O grupo pagava mensalidades dos acadêmicos de um Centro Universitário, por meio de cartões de crédito clonados. De acordo com o delegado Adriano Félix, titular do 8º DIP, as investigações iniciaram no final de maio deste ano, após os infratores comprarem eletrodomésticos em uma loja no valor de R$ 200 mil com cartões clonados. 

“A partir disso, a equipe descobriu quem são os chefes da organização criminosa. A partir daí fizemos um link com a fraude ocorrida na faculdade. Eles conseguiam esses cartões clonados, que vinham de São Paulo. Cada cartão clonado vale em torno de R$ 250 e, a partir daí, eles conseguiam essas vítimas e efetuavam esses golpes. Os eletrônicos comprados da loja com cartão clonado foram vendidos pela quadrilha no site de vendas OLX ou vendas diretas”, informou.

FOTOS: ALAÍLSON SANTOS/PC-AM

Conforme o delegado Fabiano Pignata, adjunto do 8º DIP, a operação foi deflagrada na quinta feira (10/09), e tinha intuito de desmantelar esse grupo criminoso de estelionatários. Os suspeitos clonavam cartões de créditos e efetuavam pagamento de mensalidade em uma instituição de ensino.

“Eles faziam a cooptação de alunos e esses alunos faziam o pagamento para eles com desconto, e logo após isso acontecia o pagamento no sistema via cartão clonado. O aluno via a oportunidade de pagar com desconto, procurava os indivíduos, pagava o valor e os suspeitos usavam o cartão clonado no sistema da faculdade. Os alunos alegam que não tinham conhecimento desse crime cometido pela quadrilha e os descontos variavam de R$ 100 a R$ 200 reais a mensalidade”, relatou.

FOTOS: ALAÍLSON SANTOS/PC-AM

Ainda segundo o delegado, a instituição de ensino instaurou um procedimento administrativo para efetuar o pagamento e denunciou o crime à polícia.

Adriana, Ayrton, Fernando, Giovanna e Levino foram indiciados por associação criminosa e estelionato.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •