Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O empresário investigado por filmar e expor na internet vídeos de mulheres praticando yoga na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, voltou a prestar depoimento, nessa segunda-feira (10/08) e disse que suas publicações teriam finalidade “humorística”. Ricardo Roriz precisou retornar à delegacia por conta de um segundo registro de ocorrência feito por uma nova vítima.

Aos policiais, ele confessou que faz este tipo de gravação há seis anos com o objetivo de ser engraçado. Em entrevista ao portal G1, a delegada à frente do caso, Valéria Aragão, confirmou a alegação do suspeito.

“O empresário Ricardo Roriz compareceu novamente à 12ªDP para prestar declarações em relação ao segundo vídeo que teria sido postado por ele no dia 5 de julho. Ele teria feito zoom e feito comentários ofensivos a uma vítima. De igual modo, ele afirmou que se sente arrependido do que fez e há seis anos ele começou a fazer vídeos e postá-los com toque de humorismo. Mas, em momento algum, quis ofender ou expor as pessoas”, disse, ao portal.

Ainda na oitiva, Roriz disse que, a partir das denúncias, começou a apagar vídeos que ele “considera ofensivos” às vitimas.

Ricardo Roriz

“Ele afirmou que vem fazendo uma varredura em suas redes sociais. Ele está excluindo todas aquelas que ele considera ofensiva numa atitude de autocrítica. Ele sempre afirma que na data de uma postagem ofensiva, ele havia ingerido bebida alcoólica”, completou Valéria.

Ao portal, o advogado de defesa, Valdo Tavares, defendeu que as publicações com “toque de humor” seriam uma prática somente entre os amigos e que a publicação dos vídeos nas redes sociais foi um erro reconhecido pelo cliente.

“O ‘toque de humor’ que ele fala é em relação aos amigos que estão nas filmagens, ele brinca com o Celsão e os outros que ficam lá. Neste fato, sobre as meninas, é um erro que ele cometeu. Ele reconhece. A partir de agora ele não vai fazer mais vídeo mostrando outras pessoas. Eu recomendei que ele tenha um cuidado maior em relação às postagens de vídeos”, disse, Tavares.

Com a repercussão negativa da filmagem da advogada Mariana Maduro e a abertura de inquérito da Polícia Civil contra o homem, Roriz fez um pedido de desculpas pelas redes sociais.

“Uma conversa intima entre amigos veio a público através de uma publicação infeliz por mim publicada em minha rede social Instagram que conferiu erroneamente um tom genérico, abstrato, grosseiro que não corresponde à minha conduta durante os 6 (seis) anos de publicações nas referidas redes sociais. Venho externar minha solidariedade a quem se sentiu ofendido ou depreciado pela referida postagem”, escreveu. Com Metrópoles.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •