Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Administrado pela Prefeitura de Manaus, em parceria com o grupo Samel e o instituto Transire, o hospital de campanha municipal Gilberto Novaes, na zona Norte, completou na quarta-feira, 13/5, um mês de funcionamento, registrando mais de 200 altas médicas. Somente nesta semana, 47 pacientes retornaram aos seus lares, após o processo de tratamento hospitalar contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

“É com um sentimento de gratidão e alegria que comemoramos este um mês de funcionamento do hospital de campanha. A alegria é por saber que estamos salvando vidas, cuidando das pessoas, que o hospital de campanha Gilberto Novaes está mostrando a que veio, com 200 pacientes curados. E a gratidão é para com toda a equipe que está ali envolvida diariamente, seja da equipe de serviços gerais à equipe de enfermeiros e médicos, verdadeiros guerreiros nesta batalha contra um inimigo invisível. Agradeço também ao grupo Samel, ao instituto Transire e demais parceiros envolvidos, que acreditaram na missão do nosso hospital municipal de campanha”, ressalta o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, sobre um mês de funcionamento do hospital de campanha.

Transformação

A dona de casa Izes Aragão da Silva, de 55 anos, foi a ducentésima paciente a se recuperar da Covid-19. Emocionada, ela comenta que chegou bastante debilitada, mas, finalmente, venceu a doença. Izes ficou internada durante 28 dias, dos quais 15 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Quando cheguei aqui, ainda estavam montando o hospital. Mesmo sendo novo, tem uma capacidade bastante avançada. Fui muito bem atendida por toda equipe. Só tenho a agradecer por tudo que fizeram por mim. Queria muito ir para minha casa e, graças a Deus, hoje está dando tudo certo. Estou curada da Covid-19”, salienta.

Junto a Izes, o cozinheiro Luiz Marques Garcia, de 56, também é um dos 13 pacientes a receber alta médica na tarde desta quarta. Internado desde o último sábado, 9, ele acredita que o empenho de todos os profissionais da unidade tem sido fundamental para a melhora dos pacientes. “Eles são todos atenciosos. Agradeço aos médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, e a toda a equipe”, afirmou.

Coordenador do hospital de campanha e diretor do grupo Samel, Ricardo Nicolau salienta que a gestão eficiente oportunizada pela parceria público-privada tem sido fundamental para garantir esses resultados positivos.

“Em quatro dias, conseguimos transformar uma escola num hospital. Chegamos ao trigésimo dia, devolvendo mais de 200 pacientes para suas casas, curados. Isso demonstra que, com gestão e boa vontade, é possível fazer um atendimento de excelência, unindo a iniciativa privada e o poder público. O prefeito Arthur Virgílio Neto acreditou nesse projeto, nas tecnologias e nos protocolos do grupo Samel com apoio do instituto Transire. Aqui, nenhum paciente tem ‘sobrenome’. Todos têm tratamento humanizado e igualitário. Enquanto durar a pandemia, nós estaremos aqui, trabalhando para vencer a Covid-19”, assegura.

Estrutura

A unidade utiliza os mesmos protocolos clínicos e equipamentos médicos empregados pelos hospitais da rede privada Samel, com destaque para a cápsula “Vanessa”, que permite a ventilação não invasiva de pacientes, evitando a entubação orotraqueal precoce. Mesmo sendo um hospital de campanha – montado para desafogar o sistema tradicional de saúde -, opera com alta complexidade e conta com um tomógrafo e um laboratório de análises clínicas, que opera 24 horas.

O hospital de campanha municipal Gilberto Novaes foi instalado em uma estrutura de um Centro Integrado Municipal de Educação (Cime), da Prefeitura de Manaus, com mais de seis mil metros quadrados, que estava prestes a ser inaugurado no bairro Lago Azul, zona Norte. Foram quatro dias de trabalho intenso, para adaptar os dois prédios da escola e possibilitar a entrada dos primeiros pacientes no dia 13/4.

Atualmente, a unidade hospitalar conta com 130 leitos, sendo 39 destinados à UTI. Após a conclusão da primeira etapa, no início deste mês, o ritmo das obras continua acelerado, para que seja possível atingir a capacidade máxima de 279 vagas de internação.

Durante esse período de funcionamento, o hospital gerou mais de 230 empregos diretos, em diferentes frentes de trabalho. Os trabalhadores atuando na linha de frente de combate ao coronavírus foram presenteados, no Dia do Trabalhador, 1° de maio, com um refeitório que atende a todas as recomendações de segurança.

Até o momento, ao menos 350 profissionais, incluindo os da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), estão atuando na unidade hospitalar, cuja manutenção financeira é feita por doação, de pessoas físicas e jurídicas, em conta bancária criada pela Prefeitura de Manaus. As contribuições podem ser acompanhadas no site covid19.manaus.am.gov.br, na aba Transparência.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •