Voluntários do projeto “Médicos pela Vida Brasil”, da Igreja Morada (MS). (Foto: Reprodução / A Crítica)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um projeto chamado de Médicos pela Vida Brasil dará início às atividades de combate à Covid-19 para tratar precocemente pessoas do grupo de risco e profissionais da linha de frente. A iniciativa é do pastor da Igreja Morada, Henrique Maia, que é médico clínico geral.

Focado em pessoas já diagnosticadas ou com suspeita, com sintomas leves do 1º ao 5º dia e acompanhantes de diagnosticados positivos para Covid, a ação também atenderá profissionais da Saúde, da área da Segurança e trabalhadores da linha de frente, com comprovação com o principal objetivo de prevenção, além de pessoas pertencentes ao grupo de risco, como: idosos, hipertensos, obesos,  diabéticos e doenças pulmonares obstrutivas crônicas.

Para o médico toxicologista e nutrólogo, Sandro Benites, essa será uma ação pioneira dentro do Brasil. “Não existe abordagem em massa contra a Covid. Estamos criando uma plataforma, que ninguém imaginou, para o tratamento precoce do vírus”, explicou.

“O tratamento preventivo só será realizado mediante a autorização e não garante imunidade para os pacientes. Importante salientar que os medicamentos prescritos no Polo Morada, não serão distribuídos no local. Com a receita, os pacientes deverão ir até às Unidades de Saúde da Rede Pública para a retirada”, esclareceu o médico cirurgião vascular, Dr. Mauri Comparin.

Segundo o portal Guiame o médico intensivista e clínico, Dr. César Augusto Sobrinho, explicou que os pacientes que receberem a receita e começarem o uso dos medicamentos, serão monitorados pela telemedicina, especialmente nos primeiros dez dias de atendimento. “O paciente que entrar em contato com o vírus e desenvolver a doença, será acompanhado, evitando que evolua para as fases mais avançadas e mais graves dessa doença.”

Voluntariado

A igreja que já tem uma rotina com voluntários, nesse momento muda o foco e convoca profissionais da saúde para fazerem parte da ação.

“Se a pessoa puder doar algumas horas para nos ajudar no enfrentamento da Covid-19, será bem-vindo. Todo voluntariado é necessário nesse momento. Temos a ciência que com a divulgação dessa ação e a procura aumentará”, explicou o anfitrião do Polo, médico clínico geral e pastor da Igreja Morada, Henrique Maia.

Serviço

Para ser voluntário, é preciso ser médico, enfermeiro, técnicos de enfermagem, assistente social ou formandos dessas áreas do penúltimo e último semestre.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •