Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Atenção Primária à Saúde serviu como base para os 57 pesquisadores que apresentaram seus trabalhos na II Mostra de Pesquisas Científicas realizada na quarta-feira, 4/12, pela Prefeitura de Manaus, por meio da Escola de Saúde Pública (Esap) da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). O evento ocorreu nas dependências da Faculdade Estácio, localizada no bairro Chapada, zona Centro-Sul.

As pesquisas são fruto do empenho de profissionais de diversas instituições de ensino e que utilizaram a Semsa como campo de pesquisa. Temas como vigilância epidemiológica, saúde da mulher, saúde do idoso, saúde mental, saúde do trabalhador, vigilância ambiental, assistência farmacêutica e medicina laboratorial resultaram em produções científicas.

Na abertura do evento, o secretário-interino da Secretaria Municipal de Direito do Consumidor e Ouvidoria – Procon Manaus (Semdec), Rodrigo Guedes, destacou a iniciativa da Prefeitura de Manaus no investimento em pesquisas cientificas com o intuito de buscar melhorias nos serviços públicos para a população.

“As pesquisas cientificas são fundamentais para o desenvolvimento da qualidade de vida do ser humano, por isso, a determinação do prefeito Artur Virgílio Neto em investir nas pesquisas científicas trará resultados significativos para todos”, afirmou.

Os pesquisadores atuaram em todos os Distritos de Saúde da Semsa para realizar os estudos, entrando nos cenários de práticas da secretaria, baseadas na forma de como os serviços ofertados pela Atenção Básica chegam à ponta, ou seja, ao usuário.

Com a presença de pesquisadores, instituições de ensino, acadêmicos, servidores e profissionais de saúde, o secretário da Semsa, Marcelo Magaldi, ressaltou os resultados positivos que a Esap tem apresentado em um ano de implantação e a importância da promoção de uma maior aproximação das universidades com a saúde municipal.

“Essa aproximação traz benefícios incalculáveis para a população. Esses trabalhos foram desenvolvidos no âmbito da Semsa, a partir do levantamento de problemas. Nesse sentido, nossas unidades de saúde serviram como campo de estudo, no qual foi possível encontrar soluções que se traduzem em melhorias para a população”, pontuou Magaldi.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •