Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Novos projetos de etnodesenvolvimento vão ser executados no interior do Amazonas, e os municípios de Humaitá e Apuí (a 220 quilômetros de Manaus) estão entre as localidades que deverão ser beneficiadas. A meta é desenvolver ações principalmente na área da agricultura familiar, que proporcionem resultados positivos na geração de renda a indígenas que habitam essas localidades e nas regiões de Borba, Nova Olinda e Manicoré (a 333 quilômetros de Manaus).

Dezenove terras indígenas regularizadas e que foram beneficiadas pelo projeto Território da Cidadania Indígena do Madeira, até o ano passado, estarão na área de abrangência dos novos projetos. O objetivo é beneficiar aproximadamente 1,8 mil famílias (oito mil pessoas).

Duas chamadas públicas para a contratação de empresas prestadoras dos serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), com formato e investimento no âmbito do projeto Brasil sem Miséria, do Governo Federal, já começaram a ser discutidas com as comunidades indígenas e deverão ser realizadas.

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado para os Povos Indígenas (Seind), é um dos parceiros da Fundação Nacional do Índio (Funai) na ação, que começou no dia 29 de maio em Borba e continuou na quarta-feira (dia 4 de junho) em Manicoré (a 333 quilômetros de Manaus). A última reunião está prevista para o próximo sábado (dia 7) em Humaitá.

Antes de viajar para Manicoré, o coordenador de Projetos Demonstrativos da Coordenação Geral de Promoção ao Etnodesenvolvimento da Funai, Wagner Pereira Sena, reuniu-se com o secretário da Seind, Bonifácio José Baniwa, para falar dos novos projetos. “No primeiro momento, o objetivo é garantir a segurança alimentar das famílias e, no segundo, trabalhar a geração de renda, com a comercialização do excedente da produção”, justificou Wagner Sena.

Além da Seind, os outros órgãos que apoiam a Funai na reunião com os indígenas são o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), o Ministério de Desenvolvimento Social (MDS) e a Secretaria Geral da Presidência da República.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •