Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A industriaria, Maísa Souza da Silva, 32, que teve a perna esquerda amputada após ser atropelada por um carro em alta velocidade, no dia 6 do mês passado, dirigido pelo auxiliar de produção Manoel Benvindo Pinheiro Neto, 26, morreu na madrugada deste domingo. A vítima estava internada há cerca de 26 dias, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, mas não resistiu e faleceu por volta de 01h da manhã.

Manoel Benvindo, acusado, que também estava internado no mesmo hospital, recebeu alta hoje e foi encaminhado ao 8° Distrito Integrado de Polícia de onde será enviado a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa.

O delegado Goerge Gomes, do 8° DIP, que preside o inquérito, requereu a prisão preventiva Manoel, e o juiz Anésio Rocha Pinheiro da 2ª Vara do Tribunal do Júri, acompanhou o parecer do Ministério Público e converteu o flagrante em prisão preventiva.

O atropelamento

Maisa e uma amiga caminhavam, por volta de 1h do dia 6 de janeiro, quando atravessavam a Avenida Coronel Teixeira (estrada da Ponta Negra), Zona Oeste de Manaus, foram atropeladas por um Fiat Siena, cor vermelha, de placas OAM 3528, dirigido por Manoel Benvindo, que foi preso em flagante.

No acidente, Maisa, teve a perna arrancada de seu corpo e foi levada em estado grave ao Pronto-Socorro 28 de Agosto.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •