Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Marília Mendonça é, atualmente, a nova vítima de algo que se tornou uma constante na pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus: o pedido de desculpas por alguma bobagem feita ou falada durante as lives. O clima informal, uma marca do sertanejos brasileiros, no qual se diz o que quer, muitas vezes sem uma reflexão, somado ao alcance gigantesco das transmissões ao vivo, tem provocado cancelamentos e exposto artistas ao julgamento das redes sociais.

Nesse sábado (8/8), Marília Mendonça, durante sua live Lado B, fez um comentário transfóbico. A cantora conversava com os colegas de banda quando contou uma história sobre um dos músicos em uma boate destinada ao público LGBTQ+ de Goiânia. Logo em seguida, outro comenta: “Era mulher mesmo?”, causando ainda mais risadas.

O assunto “Marília Mendonça transfóbica” virou um dos mais comentados do Twitter, forçando a cantora a se posicionar na rede, na manhã desta segunda (10/8). De forma sucinta, ela afirmou ter errado, pediu desculpas e argumentou que não iria tentar se justificar.

O caso de Marília é o mais recente, no entanto, passa longe de ser o único neste período de pandemia. Com os shows parados, os artistas têm buscado fazer lives para entreter o público, conseguir doações e, é claro, faturar com patrocínios e cachês. Dentro de casa, os cantores e cantoras, principalmente do sertanejo, adotam postura mais informal e soltam a língua: no entanto, ao contrário de um show, o alcance das lives é enorme. A própria Rainha (cancelada?) da Sofrência teve a transmissão mais vista do YouTube, com mais de 3 milhões de espectadores simultâneos.

Gusttavo Lima, por exemplo, teve que enfrentar diversos problemas com o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar), após protagonizar uma verdadeira bebedeira em sua live. E, como diz o ditado, o álcool entra e a verdade sai, fazendo o sertanejo também ser cancelado por besteiras ditas durante a transmissão ao vivo. Depois de ameaçar não fazer mais esse tipo de show, ele voltou atrás e reapareceu em uma versão mais moderada.

Eduardo Costa também protagonizou cenas de gosto duvidoso em lives. Na apresentação do projeto Cabaré, ao lado de Leonardo, o cantor comentou que “faria sexo pensando no bebê de Thaeme, para ter uma filho tão bonito”. A fala repercutiu mal e a onda de críticas foi o estopim para o fim da parceria com Leonardo, que, em contrapartida, tem se aproximado de Gusttavo Lima.

Zé Neto & Cristiano também tiveram que se explicar após um show marcado por bebedeira – com direito a um deles raspar a cabeça ao vivo. O mesmo ocorreu com a dupla Bruno & Marrone, que virou meme após cantarem, digamos, alterados. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •